A+ / A-

Francisco pede aos núncios que defendam a Igreja e não se juntem a grupos hostis ao Papa

13 jun, 2019 - 23:35 • Ecclesia

O Papa encontrou-se esta quinta-feira com mais de uma centena de representantes diplomáticos da Santa Sé, em todo o mundo, a quem recordou os deveres de “obediência”.
A+ / A-

O Papa Francisco pediu aos núncios apostólicos que defendam a Igreja e não se juntem a blogues e grupos hostis ao Vaticano.

O Papa encontrou-se esta quinta-feira com mais de uma centena de representantes diplomáticos da Santa Sé, em todo o mundo, a quem recordou os deveres de “obediência”, lealdade e discrição, no desempenho das suas funções.

“É, por isso, inconciliável ser representante pontifício e criticar o Papa, pelas costas, ter blogues ou mesmo unir-se a grupos hostis a ele, à Cúria e à Igreja de Roma”, advertiu, num texto entregue a estes responsáveis e divulgado pelo Vaticano, antes de um encontro de duas horas, à porta fechada.

O documento desafia os núncios (embaixadores da Santa Sé) a evitar qualquer situação de potencial “fraude” e a rejeitar as “calúnias”.

Francisco pede ainda atenção a presentes que possam ter um valor excessivo, desejando que os representantes da Santa Sé não procurem luxo ou roupas “de marca”, em particular quando desempenham funções junto de pessoas que vivem sem o mínimo necessário.

O texto sublinha que estes responsáveis não são meros “funcionários” do Papa ou da Santa Sé, pelo que devem cultivar uma vida de oração.

Até sábado, 103 representantes pontifícios (98 núncios apostólicos e cinco observadores permanentes) estão no Vaticano para uma série de encontros com o Papa e seus colaboradores, numa iniciativa que decorre a cada três anos.

Antes da sua reunião desta quinta-feira de manhã, Francisco quis recordar o núncio apostólico na Argentina, D. León Kalenga Badikebele, que faleceu em Roma, esta quarta-feira, vítima de doença súbita.


legislativas 2019 promosite
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.