A+ / A-

Regulador alerta para más práticas dos comercializadores de eletricidade e gás natural

12 jun, 2019 - 16:37 • Agência Lusa

ERSE insta os consumidores a contactar as empresas, que “têm de garantir o atendimento telefónico e por escrito”.
A+ / A-

O regulador energético alertou esta quarta-feira os consumidores sobre más práticas dos comercializadores de eletricidade e de gás natural, recomendando o contacto por diversos meios, uma vez que as empresas “têm de garantir o atendimento telefónico e por escrito”.

De acordo com o alerta publicado na página da internet da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), se o consumidor “anda há algum tempo a tentar contactar sem sucesso o seu comercializador pela linha telefónica ou sempre que liga fica em fila de espera”, deve tentar contactar através de outro meio, como e-mail, página na internet, carta ou presencialmente.

“Os comercializadores de energia têm de garantir o atendimento telefónico e por escrito aos consumidores”, vincou a ERSE.

Após atendida a chamada, se o período de espera for superior a 60 segundos, “o comercializador tem de disponibilizar uma forma de o consumidor deixar o contacto e o motivo da chamada”.

A ERSE indicou ainda que o comercializador deve responder nos dois dias úteis seguintes, sendo que o custo de uma chamada para o atendimento telefónico “não pode ser superior ao de uma chamada local”.

Por sua vez, as chamadas para comunicação de leituras ou de avarias são gratuitas. “Se as dificuldades de contacto continuarem dê conhecimento à ERSE”, recomenda o regulador.

Este alerta tem assim por objetivo informar os consumidores “sobre matérias que são normalmente alvo de dúvidas e reclamações”.

Adicionalmente, a ERSE promove ações de informação e formação “com vista a potenciar uma crescente participação esclarecida dos consumidores de eletricidade e gás natural no mercado”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.