A+ / A-

​O porquê de um Dia Nacional da Gastronomia? A resposta está em Viseu

08 jun, 2019 - 03:02 • Liliana Carona

É a primeira vez que o Dia Nacional da Gastronomia, na sua quarta edição, vai ser assinalado numa cidade do Interior.
A+ / A-
Reportagem de Liliana Carona - Dia Nacional da Gastronomia
Reportagem de Liliana Carona - Dia Nacional da Gastronomia

Viseu recebe este fim de semana a exposição “O que se come, o que se bebe”, que serve obras de criadores de arte de rua e promove ainda um jantar solidário. 34 museus a nível nacional, de norte a sul e ilhas da Madeira e Açores, terão apontamentos relacionados à gastronomia.

“Porquê um Dia Nacional de Gastronomia”? A pergunta é colocada pela presidente da Federação Portuguesa das Confrarias Gastronómicas, Olga Cadaval, que fala em nome de 91 confrarias e dá a resposta à questão colocada sobre a pertinência de um dia dedicado à comida e bebida.

“Porque a comida está desde o nascer até ao morrer, do primeiro momento do dia até que nos deitamos, é bom percebermos que um dia nacional é algo para celebrar a coletividade e os pontos diferentes que temos, desde o Minho até ao Algarve, passando pelos arquipélagos, e que demonstram as matrizes da nossa identidade”, defende.

A 4ª edição do Dia Nacional da Gastronomia Portuguesa tem como palco o solar do vinho do Dão em Viseu, onde o visitante vai poder ver ’O que se come, o que se bebe’ numa exposição com peças de Tamara Alves, um dos grandes nomes da ‘street art’ (arte de rua) de Portugal, assim como do chef Nuno Castro e de Jean Michel Maciel, que apresenta uma exposição, denominada ‘showcooking’, sobre máquinas ligadas ao receituário. “A exposição é um brinde à nossa gastronomia, celebrarmos o melhor que temos”, realça Olga Cadaval.

No domingo, 9 de junho, vão ser atribuídos os galardões do Troféu Portugal, disputado por cinco chefs.

Esta quarta edição do Dia Nacional de Gastronomia, depois de Lisboa, Vila Nova de Gaia e Aveiro, chega agora à cidade de Viriato.

Na noite deste sábado, no Solar do Vinho do Dão, onde decorre o evento, haverá um “jantar solidário” a favor da associação dos autistas de Viseu e que conta com o contributo da Confraria de Almeirim que tem na ementa a Sopa da Pedra.

Neste fim-de-semana está ainda prevista a abertura de 34 museus a nível nacional, de norte a sul e ilhas da Madeira e Açores, além de cerca de 50 restaurantes sinalizados com um dístico e na página da Internet da federação, abertos à iniciativa com uma ementa alusiva.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.