A+ / A-
Legislativas 2019

Costa prepara legislativas e avisa que europeias não foram “um cheque em branco”

30 mai, 2019 - 23:28 • Susana Madureira Martins

O secretário-geral do PS anunciou quatro convenções regionais temáticas de preparação para as legislativas, mas alerta que a legislatura ainda não acabou e há vários temas por fechar, incluindo legislação laboral e a lei de bases da saúde.
A+ / A-

As eleições europeias estão arrumadas, e com uma “vitória clara e inequívoca”, mas atenção, avisa António Costa, é preciso “perceber bem que esta confiança que foi renovada” ao PS “não foi um cheque em branco, foi mesmo uma responsabilidade acrescida” para concluir “nesta legislatura o trabalho que ainda está em curso”.

Avisos do líder do PS numa intervenção inicial na comissão política do partido e a que os jornalistas puderam assistir na íntegra, e que serviu na prática como preparação para as legislativas e dar ordem de mobilização aos dirigentes nacionais e não descansarem à sombra dos resultados das europeias.

É que até outubro há trabalho e dossiês para fechar e Costa elenca alguns deles: a legislação laboral, a lei de bases da saúde e a da habitação, o Programa Nacional de Infraestruturas ou o cadastro florestal, com o líder socialista a reforçar que “esta legislatura não está acabada”.

Mas há mais. Ainda nesta legislatura e fora do âmbito legislativo há matérias que António Costa também quer ver resolvidas, “um conjunto de responsabilidades”, que o líder socialista não quer “deixar de assumir como prioritárias”. E são elas os transportes públicos, Serviço Nacional de Saúde, emissão do Cartão do Cidadão ou do passaporte, porque, diz Costa, é preciso “responder às necessidades dos cidadãos num conjunto de serviços cujo funcionamento deficiente não é aceitável”. No fundo, corrigir isto tudo e ganhar pontos para as eleições de outubro.

Esta comissão política serviu ainda para o líder socialista anunciar quatro convenções regionais temáticas entre 15 de junho e 6 de julho para preparar o programa eleitoral das legislativas. Uma sobre alterações climáticas, outra sobre demografia, transição digital e uma última sobre combate às desigualdades. Isto para culminar na convenção nacional de 20 de julho.

Costa mantém a tese de que é preciso “contas certas e continuar a ambição de ter uma política económica estável”, também quer “prosseguir a descentralização” e o combate à corrupção.

Bem humorado, terminou esta intervenção inicial à porta aberta com um “há boas razões para o PS estar confiante” e até vaticina que “desta vez” a preparação das legislativas “vai ser mais fácil”, com o líder socialista a mostrar-se certo “que muitos daqueles que há quatro anos olhavam e diziam que se calhar o PS não ia ser capaz de fazer, terão uma confiança acrescida para dizer que ‘se dizem que vão fazer, é mesmo porque vão fazer, por isso podemos confiar’”.

Últimaslegislativas 2019
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Ramiro Silva
    31 mai, 2019 09:13
    Dos dossiês elencados -Legislação laboral, Bases de Saúde etc.- os portugueses esperam que saiam leis equilibradas e não ao sabor dos seus parceiros à esquerda, que não é difícil adivinhar, não lhe vão facilitar a vida até às Legislativas.