A+ / A-

Militares, serviços de informação e polícias unem forças no combate ao terrorismo

30 mai, 2019 - 16:15 • Ana Rodrigues com redação

Acordo entre as diversas forças de segurança permite que militares integrem patrulhas policiais, em caso de ameaças graves à segurança, o que nunca aconteceu.

A+ / A-

Em caso de ataque terrorista em Portugal, polícias e militares vão trabalhar em conjunto. O acordo de cooperação foi alcançado esta semana e define as linhas orientadoras de cooperação entre polícias e Forças Armadas.

“Vem resolver um problema que tem mais de 10 anos, porque a lei de segurança interna há 10 anos que define que o secretário-geral de segurança interna e o CEMFA [chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas] deveriam encontrar um documento enquadrador para este tipo de atividades”, refere à Renascença o Almirante Silva Ribeiro, chefe de Estado-Maior General das Forças Armadas.

“Isso não possível fazer nos 10 últimos anos, mas conseguiu-se agora e também se conseguiu outro documento muito importante e muito significativo, que foi a cooperação com os serviços de informações. Estes dois documentos vão criar condições para que as Forças Armadas, os Serviços de Informações e as forças de segurança colaborem ao nível operacional de forma mais intensa e com os procedimentos perfeitamente claros”, destaca.

O Almirante Silva Ribeiro falava durante o exercício SOFEC 2019 (“Special Operations Forces Exercise Challenge 2019”), que pela primeira vez acontece em Portugal e no qual participam as Forças Armadas de seis países.

As equipas de operações especiais treinam na Madeira técnicas de combate e resgate de reféns. O Iraque, já no próximo semestre, vai ser o próximo teatro de operações onde estas forças vão ser empregues.

Patrulhas mistas

Alguns países já utilizam a integração de militares em patrulhas policiais. É o caso de Bélgica e França, países palco de vários atentados terroristas nos últimos anos.

Em Portugal, só agora tal vai ser possível e implicará que militares recebam ordens das forças policiais nos casos em que a segurança pública esteja em risco. O acordo celebrado esta semana pela Unidade de Coordenação Antiterrorista (UCAT) é, por isso, considerado histórico.

Demonstração de capacidades na Madeira

As Forças de Operações Especiais das Forças Armadas e das Forças de Segurança portuguesas e estrangeiras promoveram, nesta quinta-feira, uma demonstração de capacidades em Porto Santo, no âmbito do "Special Operation Forces Exercise Challenge 2019 (SOFEC 19)", anuncia o Estado-Maior General das Forças Armadas em comunicado.

“Em ambiente terrestre, aéreo e marítimo, foram demonstradas algumas capacidades das Forças de Operações Especiais ao nível do resgate de reféns, lançamento de paraquedistas para o mar, a partir de aeronave C295 e posterior recuperação por botes, assim como projeção de forças no terreno com recurso a ‘fast rope’ através de helicóptero EH-101”, descreve a nota.

Brasil, Espanha, França, Roménia, Timor-Leste e Portugal foram os países envolvidos nestes exercícios.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.