A+ / A-

​Incêndio em antigo paiol de Loures desalojou 37 pessoas

20 mai, 2019 - 20:55

Famílias que viviam em condições precárias vão, para já, ficar no quartel dos bombeiros de Sacavém.
A+ / A-

O incêndio que deflagrou no domingo num antigo paiol em Sacavém, no distrito de Lisboa, desalojou 37 pessoas que vão continuar a pernoitar no quartel dos bombeiros local, adiantou à Lusa fonte da Câmara de Loures.

De acordo com esta fonte, o antigo paiol albergava 29 famílias – num total de 66 pessoas - que viviam em condições precárias.

No entanto, destas 29, apenas 14 famílias (37 pessoas) vão necessitar de serem realojadas, uma vez que as restantes casas não arderam.

Estas 14 famílias, em causa, são constituídas por 20 adultos e 17 menores, que irão dormir pela segunda noite consecutiva no ginásio do quartel dos Bombeiros Voluntários de Sacavém.

Quanto às restantes 15 famílias, poderão regressar já esta noite às suas casas, visto que os trabalhos de rescaldo do incêndio ficaram esta tarde concluídos.

Dezenas de pessoas que viviam nas instalações de um antigo paiol, num terreno da Empordef, ficaram desalojados na sequência de um incêndio que deflagrou no domingo numa zona de mato de Sacavém, concelho de Loures.

O incêndio deflagrou pouco depois das 17h00 e mobilizou mais de 90 elementos das forças de socorro e segurança, informou no domingo à agência Lusa fonte da Proteção Civil.

Entretanto, esta tarde, o presidente da Empordef, Marco Ferreira, manifestou disponibilidade para colaborar com a Câmara de Loures para encontrar uma solução para as famílias desalojadas.


legislativas 2019 promosite
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.