A+ / A-

Vaticano lança equipa de futebol feminino. "Mesmo que percam não faz mal"

14 mai, 2019 - 17:01 • Redação

As jogadoras fazem parte das cerca de 750 mulheres que trabalham no Vaticano. Primeiro jogo vai ser contra o A.S. Roma, já na próxima semana.
A+ / A-

O Vaticano anunciou a criação de uma equipa de futebol feminina, composto por mulheres que trabalham para a Santa Sé.

O primeiro jogo já está agendado, e oporá a seleção da Santa Sé à equipa feminina da A.S. Roma, que este ano participou pela primeira vez no campeonato italiano, conseguindo o quarto lugar. Seguir-se-á um jogo internacional em junho, ainda por determinar, no contexto de um torneio para angariação de fundos para um hospital pediátrico.

Segundo o responsável pelo desporto no Vaticano, Danilo Zennaro, a prioridade não é o resultado.

“Mesmo que percam 3-0 não faz mal. O que interessa é que estas mulheres tenham a oportunidade de conhecer jogadoras profissionais. Ganham ou percam, tem a ver com a criação de laços e amizades”, diz Zennaro ao jornal britânico “The Guardian”.

Trabalham centenas de mulheres no Vaticano, religiosas e leigas, para além de muitas que estão ligadas à cidade-estado por serem mulheres ou filhas de funcionários. Apesar de a maioria delas não terem experiência de desporto ao mais alto nível, há pelo menos três da equipa que já jogaram mais a sério, incluindo a capitã e ponta-de-lança Eugene Tcheugoue, dos camarões.

A seleção do Vaticano será treinada por Susan Volpini, secretária da associação de Mulheres no Vaticano.

O Vaticano já tem uma equipa masculina há quase meio-século e uma equipa de cricket, formada essencialmente por seminaristas e padres da Índia, do Paquistão e do Reino Unido. Recentemente criou uma equipa de atletismo, com o objetivo último de participar em eventos internacionais, incluindo os Jogos Olímpicos.


guialiga19_20_banner
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.