A+ / A-
Inquérito

"Falta de atenção" de condutor português provocou acidente de comboio na Galiza

17 abr, 2019 - 12:03 • Redação

Relatório revela causa do descarrilamento do comboio Celta que, em setembro de 2016, causou a morte a quatro pessoas.
A+ / A-

Leia mais:


A Comissão de Investigação de Acidentes Ferroviários (CIAF) espanhola revelou, esta quarta-feira, que o comboio Celta acidentado na Galiza em 2016 descarrilou devido à "falta de atenção" do condutor português.

A composição, recorde-se, descarrilou quando fazia a viagem entre Vigo e Porto junto à estação de O Porrino, causando a morte a quatro pessoas (entre as quais o motorista português) e ferimentos noutros 47 passageiros.

Segundo o relatório publicado hoje, o acidente ferroviário foi causado por velocidade excessiva, uma vez que a composição entrou numa curva apertada "a uma velocidade de 110km/h" quando deveria ter reduzido a velocidade para cerca de 30 km/h.

A investigação determinou ainda que o motorista "não cumpriu a ordem que lhe transmitia o sinal" de redução de velocidade, nem atuou seguindo os avisos da sinalização existente, não utilizando os travôes de emergência.

Os investigadores não conseguiram determinar o porquê de tal incumprimento, até porque não há gravações do que se passou na cabine. Ainda assim, ficam descartadas possíveis falhas do material.

"A possível distração é a única explicação plausível que se adapta às circunstâncias", é referido no relatório, citado pelo jornal "La Voz de Galicia".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Maria do Carmo Neves
    17 abr, 2019 Coimbra 13:10
    Agora que está morto e não pode falar, apontam-no como culpado. Não acredito nisso! Tem que ter sido falha técnica, pois os nossos operacionais maquinistas sãosobejamente competentes. Assumam as merdas de comboios que trazem nas vias férreas até mesmo antes de os alugarem a Portugal, que só para cá enviam chassos velhos e inuteis!