A+ / A-

Regionalização. Associação Comercial do Porto surpreendida com palavras de António Costa

16 mar, 2019 - 11:26 • Pedro Mesquita, com Rui Barros

O Presidente da Associação Comercial do Porto, Nuno Botelho, entende que a posição histórica do Presidente da República não impede Marcelo de mudar de ideias e convida todos os partidos a clarificar a sua posição.
A+ / A-

O Presidente da Associação Comercial do Porto, Nuno Botelho, mostra-se surpreendido com as declarações do primeiro-ministro, que disse não acreditar que o processo de regionalização avance “nos mandatos” de Marcelo Rebelo de Sousa.

“É com alguma surpresa que vejo estas declarações e até acho que, institucionalmente, é um bocado atrevido por parte do primeiro-ministro”, defende Botelho, quando confrontado com as declarações do primeiro-ministro, ontem à noite, no Porto Canal.

António Costa defende que "tendo em conta a posição histórica do Presidente da República”, deve evitar-se esse “tema fraturante entre os decisores políticos e o Presidente da República”. Uma posição que Nuno Botelho “estranha”, lembrando que Marcelo Rebelo de Sousa pode ter evoluído na sua posição face ao tema.

“Independentemente da história do senhor Presidente da República relativamente à regionalização, acho que quer ele, quer outros atores políticos já evoluíram relativamente às suas posições – e falaria aqui de Rui Rio como exemplo”, lembra o presidente da Associação Comercial do Porto.

Nuno Botelho acusa por isso António Costa de “não parecer muito interessado” na regionalização, especialmente numa altura em que “havia alguns indícios que estavam a ser dados pelo Partido Socialista de interesse numa regionalização”. "Mas parece que ele [António Costa] não está muito interessado", acrescenta.

Nuno Botelho convida por isso todos os atores políticos a clarificar a sua posição face ao tema. “Acho que é fundamental que os partidos políticos afirmem qual é sua posição de forma absolutamente clara”, defende o presidente da Associação Comercial do Porto.

Presidente da Comissão Independente para a Descentralização só fala em junho

Contactado pela Renascença, João Cravinho, Presidente da Comissão Independente para a Descentralização não clarificou a sua posição sobre as declarações do primeiro-ministro, dizendo apenas que reserva a sua posição para o relatório final, que deverá ser apresentado em junho.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.