A+ / A-

Funcionários da PJ marcam reunião geral para quarta-feira à porta da sede

12 fev, 2019 - 18:30 • Lusa

Depois da reunião, os funcionários da PJ vão entregar uma carta aberta à ministra da Justiça.
A+ / A-

Os funcionários da Polícia Judiciária (PJ) vão realizar na quarta-feira uma reunião geral de trabalhadores junto ao edifício sede da PJ, em Lisboa, e depois vão entregar uma carta aberta à ministra da Justiça.

Os investigadores, seguranças e funcionários administrativos da Polícia Judiciária terminam esta terça-feira sete dias de greve parcial, que, segundo as associações sindicais, “foi um sucesso”, com uma taxa de adesão a rondar os 85%.

“Foi um momento histórico na vida da instituição. Percebeu-se bem a indignação e a revolta das pessoas com a falta de investimento na PJ”, disse à agência Lusa Ricardo Valadas, presidente da Associação Sindical dos Investigadores criminais (ASFIC/PJ).

Questionado pela Lusa sobre as reivindicações dos funcionários da PJ, o Ministério da Justiça respondeu que está “a trabalhar na revisão da estrutura orgânica da Polícia Judiciária e do estatuto do respetivo pessoal e já deu início ao procedimento relativo concurso externo para ingresso na carreira de inspetor”.

O ministério de Francisca Van Dunem realçou também que está a avaliar, juntamente com “a área governativa responsável pelo emprego público e pelo orçamento”, o Ministério das Finanças, as questões relativas ao pagamento do subsídio de risco.

Representantes das associações sindicais e ministra da Justiça estiveram recentemente reunidos, mas, segundo Ricardo Valadas, “não houve respostas formais, nem garantias” que impedissem os trabalhadores de continuar as formas de luta.


guialiga19_20_banner
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.