A+ / A-
Brasil

Dérbi entre Flamengo e Fluminense deve ser adiado após tragédia no Ninho do Urubu

08 fev, 2019 - 11:17 • Redação

Um incêndio no centro de estágios do "Fla" provocou dez mortos e três feridos, um dos quais em estado grave. O fogo deflagrou durante a madrugada.
A+ / A-

A Federação de Futebol do Rio de Janeiro anunciou que "não há clima" para a realização do dérbi entre Flamengo e Fluminense, a contar para o campeonato carioca, marcado para este sábado.

Na sucessão da tragédia no centro de treinos do Flamengo, o "Ninho do Urubu", a Federação anunciou que convocou uma reunião com os clubes e a estação televisiva com os direitos de transmissão, para adiar o dérbi.

Um incêndio no centro de estágios do "Fla" provocou dez mortos e três feridos, um dos quais em estado grave. O fogo deflagrou durante a madrugada.

O fogo destruiu por completo uma das áreas do centro de estágios, que é utilizado não só pela equipa de futebol profissional do Flamengo, mas também pelas equipas das camadas da formação do clube.

As primeiras reações de solidariedade

Vinícius Jr, atual jogador do Real Madrid, é um dos produtos das camadas jovens do Flamengo, reagiu ao incidente e recordou "todas as noites e dias" que passou no centro de treinos. "É de arrepiar, ainda sem acreditar. Em oração por todos".

Zico, lenda do futebol brasileiro, foi também formado no Flamengo, clube onde fez praticamente toda a carreira. Na rede social "Instagram", o antigo médio reagiu com tristeza à tragédia no "Ninho":

"Que choque receber essa noticia aqui do outro lado do mundo. Meninos que sonhavam com um futuro. Que se apure tudo, pois uma tragédia dessas naã pode passar em branco. Que a nação rubro-negra tenha força e fé para superar esse momento".

Vários clubes cariocas também já lamentaram a tragédia e mostraram-se solidários com o clube rival.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.