A+ / A-
Benfica

PSP obrigada a usar balas de borracha perante agressões de membros dos No Name Boys

13 jan, 2019 - 22:53 • Redação

PSP dos Açores revela que "cerca de 50 adeptos" do Benfica agrediram, no sábado, a força policial em Ponta Delgada.
A+ / A-

A Polícia de Segurança Pública (PSP) dos Açores emitiu um comunicado a descrever confrontos com membros dos No Name Boys, grupo organizado de adeptos - ou claque - do Benfica, em Ponta Delgada.

Na noite de sexta-feira, o Benfica visitou e venceu o Santa Clara, em São Miguel. A PSP revela que, no dia seguinte, na manhã de sábado, por volta das 6h00, foi chamada junto a um estabelecimento de diversão noturna, pois no local estariam a "ocorrer agressões entre diversos indivíduos".

No local, a PSP verificou que teriam "ocorrido distúrbios no interior e exterior do estabelecimento comercial". Foi então que o caos se instalou:

"Surgiu no local um grupo de cerca de 50 adeptos, pertencentes ao Grupo Organizado de Adeptos do Sport Lisboa e Benfica, denominado de No Name Boys que, ao visualizar os elementos policiais, procurou agredir os mesmos e arremessou na sua direção diversas garrafas em vidro, pedras e pedaços de madeira, pelo que, por forma a salvaguardar a integridade física das vítimas dos confrontos anteriores - e que aguardavam assistência médica -, bem como dos elementos policiais, foi necessário efetuar quatro (4) disparos de munições de baixa potencialidade letal, utilizando bagos de borracha, para repor a ordem pública."

"Só depois desta ação foi possível cessar os actos violentos atrás descritos, colocando-se os seus autores em fuga para parte incerta", pode ler-se no comunicado da PSP dos Açores, emitido este domingo.

A PSP informa que se encontram em curso "várias diligências de investigação", por parte da Esquadra de Investigação Criminal de Ponta Delgada, com o objetivo de "averiguar os contornos do sucedido".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.