A+ / A-

Capucho acusa oposição interna de minar o PSD

10 jan, 2019 - 22:08 • Hugo Monteiro, com redação

Em declarações à Renascença, o antigo secretário-geral do partido critica decisão de Luís Montenegro de desafiar liderança de Rui Rio.
A+ / A-

As movimentações no PSD para afastar Rui Rio da liderança são “inoportunas e descabidas”, afirma António Capucho, antigo militante e secretário-geral do partido.

Em declarações à Renascença, no dia em que se ficou a saber que Luís Montenegro vai desafiar a liderança de Rui Rio, António Capucho critica o timing do anúncio e arrasa a oposição interna no PSD.

“Em primeiro lugar, lamentar que essa corrida não tenha sido concretizada durante o congresso, ou seja, toda a gente sabia que o líder da oposição à estratégia de Rui Rio era Luís Montenegro, mas ele ficou nas tábuas e enviou para a cabeça do touro Pedro Santana Lopes”, argumenta Capucho.

“Foi pena não ter assumido a sua vontade de liderança do partido na altura própria e não agora a meio do percurso e a poucos meses de eleições”, sublinha.

Em relação às sondagens "poucos brilhantes" para o PSD, afirma o antigo secretário-geral, Montenegro “deve por a mão na consciência, ele e todos os que fazem oposição a Rui Rio, porque o eleitorado olha para o PSD e verifica que há uma agitação permanente e não lhe merece confiança o PSD, em geral”.

“O grande responsável não é a falta de estratégia ou a falta de liderança de Rui Rio, mas sim o facto de a oposição interna estar a atuar de uma forma inoportuna e descabida”, acusa.

Nestas declarações à Renascença, António Capucho assume que ainda não é chegada a altura de regressar ao partido, embora admita que o possa fazer no futuro.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Cidadao
    11 jan, 2019 Lisboa 08:13
    Ele avançou agora, porque é agora que se vão fazer as listas de deputados às eleições Europeias, regionais e Legislativas. E muita gente afecta ao Passismo e que anda por lá só para minar, vai ficar de fora. O desemprego para eles, não é uma oportunidade, nem eles querem sair da sua zona de conforto e emigrarem... Lembram-se disto, dito pelo passinhos de Massamá? Não é tão divertido quando nos toca a nós, não é?
  • Ricardo
    10 jan, 2019 Ribeirão 22:49
    Em primeiro lugar o senhor ou a senhora que escreveu o artigo faça o favor de corrigir os erros ortográficos!! Principalmente aquelas palavras que estão entre aspas!!