A+ / A-
​Venezuela

Igreja Católica diz que novo mandato de Maduro é ilegal

10 jan, 2019 - 00:49 • Redação

Bispos consideram que o mandato que o Presidente da Venezuela inicia esta quinta-feira não tem sustentação democrática, nem jurídica.
A+ / A-

A Igreja Católica da Venezuela diz que o novo mandato do Presidente Nicolás Maduro é ilegal. A tomada de posse está marcada para quinta-feira.

A Conferência Episcopal Venezuelana alerta para o erro que é pretender manter o poder a qualquer custo.

Em comunicado, os bispos consideram que o mandato que o Presidente da Venezuela inicia esta quinta-feira não tem sustentação democrática, nem jurídica.

“A pretensão de iniciar um novo mandato presidencial é ilegítima pela sua origem, porque carece de sustentação democrática, na justiça e no Direito”, disse aos jornalistas o cardeal Baltazar Porras, arcebispo de Mérida.

A posição da igreja católica venezuelana, a poucas horas do início do novo mandato de Nicolas Maduro.

Portugal não estará representado na cerimónia de tomada de posse do Presidente da Venezuela, anunciou na terça-feira o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva.

"Tivemos uma troca de opiniões hoje de manhã, no quadro do grupo de trabalho para a América Latina [da União Europeia], e isso vai permitir a Portugal formar a sua decisão, sendo certo que tornamos público que não estaremos representados a nível político na tomada de posse do Presidente Nicolás Maduro", disse o chefe da diplomacia portuguesa.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Anónimo
    10 jan, 2019 13:10
    A igreja católica falar de ilegalidades tem o seu quê de irónico.