|
A+ / A-

Portugueses criam spray que pode substituir plásticos na conservação dos alimentos

09 jan, 2019 - 12:19 • Carla Fino

Tem uma base 100% natural, feita com extratos de plantas e, por isso, é comestível. Ao mesmo tempo é amigo do ambiente.

A+ / A-

O SpraySafe, um produto de base natural para a conservação dos alimentos, conseguiu o segundo lugar no concurso Born From Knowledge, promovido pela Agência Nacional de Inovação.

Foi desenvolvido por uma equipa de investigadores do Centro de Investigação de Montanha, do Instituto Politécnico de Bragança, e promete revolucionar a forma como se conservam os alimentos.

A pensar para já nas grandes superfícies comerciais, o produto é 100% natural e tem a vantagem de poder substituir o plástico na conservação dos alimentos. “É feito com extratos de plantas. Leva também na sua constituição um biopolímero extraído de algas - que serve para fazer a parte mais viscosa e assim aderir mais aos alimentos. Mas é tudo com base natural e sem qualquer tipo de químicos de síntese”, explica à Renascença o investigador Márcio Carocho.

Para Isabel Ferreira, coordenadora do Centro de Investigação, as distinções são motivo de orgulho para todos. “O centro tem um percurso muito notável e inúmeras distinções. E 80% dos nossos projetos são em parceria com empresas, sobretudo, no ramo alimentar. Aliás todos os testes que estão a ser feitos com este spray e também com outros aditivos que temos desenvolvido são sempre feitos em parceria com as empresas”.

Para além do Spraysafe, os investigadores não param na procura de alternativas. “Estamos a trabalhar não só na área dos conservantes mas também nas área dos corantes”, diz Isabel Ferreira, revelando ainda outro projeto “que teve aprovação de patente internacional e que tem a ver com a substituição dos sulfitos no vinho, também com um ingrediente natural, à base de flor de castanheiro”.

Mas há outros produtos em laboratório para serem usados na área alimentar e que podem fazer a diferença no futuro. Por exemplo, vários ingredientes naturais que estão a ser desenvolvidos, sobretudo, na área da panificação e da pastelaria, para a utilização de corantes naturais obtidos a partir de flores e de frutos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.