A+ / A-

PCP pede audição urgente da ERC sobre entrevista de Mário Machado na TVI

05 jan, 2019 - 17:01

Mário Machado, condenado por envolvimento na morte de Alcino Monteiro, foi convidado no âmbito da rubrica "Dica de sua (In)Justiça", do programa Você na TV, da TVI, na quinta-feira, que tinha como tema "Precisamos de um Novo Salazar?".
A+ / A-

O PCP pediu a audição urgente, no parlamento, do conselho regulador da Entidade Reguladora da Comunicação Social (ERC) sobre o caso da entrevista à TVI de Mário Machado, líder de um movimento de extrema-direita, foi anunciado este sábado.

A Assembleia da República, "enquanto órgão de soberania representativo da democracia portuguesa, não deve permanecer indiferente perante atentados aos valores democráticos e humanistas", lê-se no requerimento, com data de 4 de janeiro e hoje divulgado, assinado pela deputada comunista Diana Ferreira.

O PCP quer que se analise com a ERC, na comissão parlamentar de Educação, Cultura, Comunicação, Juventude e Desporto, "a questão da apologia do fascismo, do racismo, e de práticas criminosas que lhe estão associadas" e qual a "resposta a dar pelas instituições democráticas ao fenómeno".

Mário Machado, condenado por envolvimento na morte de Alcino Monteiro, foi convidado no âmbito da rubrica "Dica de sua (In)Justiça", do programa Você na TV, da TVI, na quinta-feira, que tinha como tema "Precisamos de um Novo Salazar?".

O ex-líder da Frente Nacional esteve preso dez anos, em cúmulo jurídico, por crimes como discriminação racial, coação agravada, posse ilegal de arma, danos e ofensa à integridade física qualificada.

No requerimento, o PCP alegou que Machado pertence a "uma organização criminosa que assume a sua natureza fascista e racista" e condenado pelo "homicídio de um cidadão cabo verdiano".

É "um caso" de "particular gravidade" por se tratar de um "criminoso assumido e condenado por crimes de sangue de cariz racista", argumentaram ainda os comunistas.

Num comunicado intitulado "Em nosso nome não!", o Sindicato dos Jornalistas (SJ) considerou "inqualificável o tempo e o espaço concedido pelo canal de televisão TVI a Mário Machado, conhecido líder da extrema-direita, várias vezes condenado e preso por diversos crimes".

O canal de televisão, através de comunicado das direções de informação e de programas, justificou-se, afirmando estar comprometidas com a emissão de "uma programação diversificada" e que "o debate entre diferentes correntes de opinião faz parte de uma sociedade democrática, plural e tolerante".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Civilização em perigo
    06 jan, 2019 Almada 09:23
    E quando os media ignoram violações de direitos humanos que é pior, nisso já não falam! É assustador viver neste país das aparências e do "circo" onde alguns ainda acreditam no "Pai Natal".
  • Anónimo
    05 jan, 2019 18:59
    Nem sempre estou de acordo com o PCP. Mas nisto tenho que os aplaudir. Um canal de televisão não pode ter criminosos em horário nobre e ficar impune.
  • J. Moura
    05 jan, 2019 Lx 18:30
    Para o PCP a democracia vai da extrema-esquerda até ao centro-direita. Para eles, a extrema-direita não faz parte da democracia. Ideais totalitários permitidos só mesmo os deles.
  • fanã
    05 jan, 2019 aveiro 18:19
    Seria o momento de deixar de dar mais ênfase , a esta "criatura" , e deixar as entidades competentes tratar do assunto . Programas de lixo são lixo , rubrica suspensa , a TVI e o Sr. Goucha , não podem fazer o que querem , que sirva de lição !!!!