Tempo
|
A+ / A-

Um presépio feito de sal marinho? Sim, em Castro Marim

21 dez, 2018 - 10:53 • Redação com Lusa

Tem 87 metros quadrados e está a fazer as delícias de quem visita a Casa do Sal, um dos produtos mais característicos da vila algarvia.

A+ / A-

Oito toneladas de sal marinho, 3.800 peças e 300 metros de cabos elétricos compõem o presépio de Castro Marim, em exposição na Casa do Sal durante as festividades natalícias.

Em 87 metros quadrados de área estão representados vários ofícios tradicionais, como a carpintaria, a olaria ou a tecelagem, e cenas da tradição natalícia cristã.

Para construir este presépio, foram necessários quase 30 dias e duas mil horas de trabalho. "Iniciámos no dia 3 de novembro e terminámos no dia 30, para abrir no dia 1 [de dezembro]. De manhã, à tarde e à noite. Temos aqui praticamente 30 dias de trabalho, totalizando quase 2.000 horas entre todos. É muito tempo", afirma o autor do presépio, Andrelino Pena, que também é tesoureiro da Junta de Freguesia de Castro Marim.

Foi feito "em duas fases": a construção da estrutura, em madeira, que está debaixo do sal (e que contou com "sete ou oito pessoas") e depois "a fase de formatar o presépio, a parte do sal", na qual participaram três a quatro pessoas.

Há ainda trabalho "não visível", refere Andrelino Pena, como os 300 metros de cabos elétricos “enterrados no sal, com cento e tal pontos de luz”.

O sal marinho tradicional é um dos produtos mais característicos de Castro Marim.

"Nunca tínhamos trabalhado com o sal para estes fins e acho que foi uma ideia bem conseguida e uma aventura que foi vencida, porque vemos que, de ano para ano, isto tem vindo a ganhar outra dimensão, quer ao nível da estrutura, quer da divulgação da própria terra, que era o principal objetivo", afirma o presidente da Junta, Vítor Esteves.

Segundo o autarca, foram gastos 4.000 euros na construção deste presépio – “metade do que poderiam ser”, porque o projeto conta com a colaboração de pessoas e empresas que oferecem trabalho e materiais, como o sal.

Nas sua opinião compensa, porque há um "bom retorno" para a vila, onde a presença de visitantes também tem impacto no comércio e nas visitas aos monumentos locais, como o castelo de Castro Marim, argumentou.

O presépio de sal de Castro Marim pode ser visto até 6 de janeiro na Casa do Sal, estrutura com função cultural e destinada a promover este produto tradicional e característico da economia local.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+