A+ / A-

Filhas e amigos de Asia Bibi denunciam clima ameaças “constantes” no Paquistão

04 dez, 2018 - 14:08 • Ecclesia

A fundação pontifícia Ajuda à Igreja que Sofre alerta para pressão de grupos extremistas.
A+ / A-

As filhas de Asia Bibi, a mulher paquistanesa que foi absolvida pelo Supremo Tribunal do país de uma acusação de blasfémia, com a correspondente pena de morte, denunciaram um clima de “ameaças” constantes após a sentença.

A situação é tornada pública, em comunicado divulgado hoje pela fundação pontifícia Ajuda à Igreja que Sofre (AIS), a qual fala numa “situação de pavor” em consequência da “perseguição” que grupos extremistas estão a fazer à família e amigos de Asia Bibi.

A mulher, mãe de cinco filhos, esteve presa após ter sido condenada à morte por blasfémia em 2010; no final de outubro, o Supremo Tribunal de Justiça do Paquistão ilibou-a de todas as acusações.

Joseph Nadeem, amigo de Asia Bibi, refere à AIS que ele próprio corre perigo e vive escondido. “Assim que Asia foi absolvida, fomos forçados a fugir”, explica.

Asia Bibi e o seu marido estão sob proteção governamental, num lugar desconhecido; outros membros da família e os amigos mais próximos não puderam ficar com eles.

“Os islamitas continuam a querer apanhar-nos, e sempre que sentimos que estamos em perigo, temos que partir de imediato. Não podemos sair à rua abertamente para comprar comida”, relata Nadeem.

Asia Bibi continua à espera que um país lhe ofereça asilo, para poder sair do Paquistão. Alguns países, incluindo o Canadá, estão já em conversações com o Governo em Islamabad, mas não tem havido avanços concretos até ao momento.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.