A+ / A-

A "Las Vegas europeia" chegará a Badajoz em 2023

04 dez, 2018 - 08:57

"Elysium City", a primeira cidade inteligente espanhola, terá casinos, hotéis, vivendas, um centro comercial, uma marina e até mesmo um estádio. O investimento previsto é de 3.500 milhões de euros.
A+ / A-

Há uma nova tentativa de construir a próxima “Las Vegas europeia” na região da Estremadura espanhola, onde outro projeto semelhante foi frustrado no último verão, segundo avança o jornal "El País".

A filial espanhola do grupo norte-americano Cora Global apresentou um megaempreendimento denominado “Elysium City”, em Castilblanco, perto de Badajoz, com um investimento previsto de 3.500 milhões de euros. A primeira cidade inteligente espanhola terá casinos, hotéis, vivendas, um centro comercial, uma marina e até mesmo um estádio.

O promotor do novo projeto é o empresário John Cora, que trabalhou durante 30 anos na Walt Disney Company e foi vice-presidente dos parques temáticos da Disney. O empresário - como o próprio recordou na apresentação feita em Mérida perante Guillermo Fernández Vara, presidente da região da Estremadura - foi o principal defensor da construção da EuroDisney em Espanha, um parque temático que foi finalmente construído em Paris.

O Elysium, uma palavra que vem do grego e que significa “paraíso” – segundo a mitologia dos helenos, era para onde os heróis iam quando morriam - será construído numa área de mais de 1.200 hectares.

Inclui a construção de quatro hotéis com respetivos casinos, totalizando três mil quartos, além de mil vivendas, na primeira fase do projeto. Haverá também um parque temático, um centro comercial, um campo de golfe, um estádio desportivo com capacidade para 40 mil pessoas e uma marina, aproveitando o reservatório García Sola.

John Cora assegura que o projeto empregará entre 2.500 e 3.000 pessoas na fase de construção e criará 15 mil empregos até ao quinto ano de operação. A empresa espera que a primeira fase de desenvolvimento seja concluída em 2023, destinando 1.500 milhões, e a segunda em 2028, com os 2.000 milhões restantes.

O diretor adiantou que o projeto está numa fase inicial, mas espera começar os trabalhos de construção dentro de cerca de nove meses a um ano, depois de a Junta da Estremadura dar o aval para a obra.

O grupo Cora Global espera que o Elysium tenha três milhões de visitantes no primeiro ano de funcionamento, na zona de entretenimento, e outros 1,5 milhões em casinos e eventos.

O novo projeto chega depois de um grupo canadiano, Triple Five, ter descartado um projeto semelhante no verão, nos mesmos terrenos de Castilblanco, com um investimento estimado chegou a 3.400 milhões.

A empresa finalmente desistiu do projeto, tendo em conta os difíceis acessos a esta área, que não possui qualquer autoestrada, comboio ou aeroporto próximo. A empresa começou a explorar outros locais em Málaga e Cádiz, no sul de Espanha, cidades mais bem servidas de transportes.

O ex-diretor da Disney afirma, no entanto, que o local é adequado e chegou a dizer que espera que as pessoas morem em Castilblanco, na região de Badajoz, e "trabalhem em Madrid" – que ficam a uma distância de mais de 200 quilómetros.

Para isso, é fundamental a construção de uma nova estação da rede de comboios de alta velocidade (AVE), em Talavera de la Reina, a 100 quilómetros do local onde será o parque. Esta estação será inaugurada em 2022 ou 2023, segundo o El País.

Será também necessário o uso do aeroporto de Ciudad Real, a 147 quilómetros, o aeroporto de Barajas (228 quilómetros) e até poderá prosseguir o plano de abrir outro aeroporto privado em Navalcarnero (Madrid).

Está também aberta a possibilidade de abrir um ramal ferroviário da rede AVE com cerca de 90 quilómetros e a melhoria do transporte rodoviário, que seria deixada a cargo do poder público.

Porquê a Estremadura espanhola?

No último verão, a Estremadura, uma das comunidades autónomas da Espanha, aprovou uma lei sobre as grandes instalações de lazer. Esta lei, conhecida como “Legio”, prevê um imposto reduzido e descontos em taxas de jogo para grandes projetos de investimento, com uma área mínima de 300 hectares, um investimento de pelo menos mil milhões de euros e uma geração de 2 mil empregos e 3 mil camas de hotel.

A “Elysium City” deverá beneficiar destas taxas reduzidas, já que trará um grande investimento para o país. A Cora Alpha, filial espanhola da Cora Global, garante que este será um projeto sustentável, que terá em conta os 17 objetivos de desenvolvimento sustentável da ONU.

O chefe do executivo autónomo da Estremadura considera que iniciativas como esta contribuem para criar postos de trabalho e agradeceu a John Cora por ter escolhido a região para desenvolver o projeto.

“Não queremos ser mais que ninguém mas também menos que ninguém”, disse Fernández Vara ao Digital Extremadura, afirmando esperar que o projeto se torne realidade o mais rápido possível.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.