A+ / A-

“A Missa explicada” quer ajudar os crentes a celebrar com mais consciência

30 nov, 2018 - 16:41 • Ângela Roque

Curso online promovido pelo Instituto Diocesano de Formação Cristã do Patriarcado de Lisboa começa esta segunda-feira, e é aberto a todos.
A+ / A-

A eucaristia é o momento central na vida dos cristãos, mas nem todos entendem os ritos, as palavras e os gestos que ali partilham. Para os ajudar a celebrar de forma mais consciente e plena, o Instituto Diocesano de Formação Cristã (IDFC) decidiu promover um novo curso online, gratuito, e acessível através da plataforma Moodle.

“A Missa explicada” dirige-se sobretudo aos fiéis da diocese de Lisboa, mas está aberto a todos os que queiram aprofundar os seus conhecimentos. As inscrições podem ser feitas através do site.

Paulo Paiva é o coordenador dos cursos online do Centro de Formação à Distância do IDFC e em entrevista à Renascença explica como vai funcionar este curso de seis semanas, cujos conteúdos são garantidos pelo Departamento de Liturgia do Patriarcado de Lisboa.

Como é que surgiu a ideia de fazer este curso “A Missa Explicada"?

Foi a partir do tema do programa pastoral diocesano, que é “Viver a Liturgia como lugar de Encontro”. No Centro de Formação à Distância do Patriarcado temos feito vários cursos promulgados pelo Instituto Internacional de Teologia à Distância, de Madrid, mas como este ano temos este tema da liturgia pensámos que seria oportuno proporcionar aos fiéis do Patriarcado de Lisboa a possibilidade de fazerem este curso.

E havia procura por uma coisa assim?

Algumas pessoas já nos tinham perguntado se tínhamos alguma formação deste género. No nosso curso sobre a mensagem cristã, um curso base ainda, falamos sobre a liturgia e a eucaristia, como é óbvio, mas não tínhamos nada especificamente sobre a missa. Vimos que as pessoas estavam à procura, e isso também contribuiu para criarmos este curso.

O que é que um cristão já habituado a ir à missa pode aprender com um curso destes?

Muita coisa. Eu sou formado em teologia e catequista de adultos na paróquia de S. Tomás de Aquino, e a “missa explicada” é um passo importante que fazemos sempre no nosso percurso de preparação para o crisma dos adultos. O feedback que temos é que é um momento de aprendizagem, de descoberta. Muitos ficam deslumbrados, porque apesar de irem à missa, desconhecem grande parte do que ali estão a viver. É uma falha grande que observamos em muitos dos nossos cristãos, vivem a celebração, todos os ritos, palavras e gestos, atitudes religiosas, mas não sabem o seu significado. Não sabem porque é que o fazem, de onde é que aquilo vem nem que sentido tem. Muitos têm uma noção base sobre qual é o momento alto, mas há uma série de lacunas que precisam de ser preenchidas. E este curso da missa explicada vem tentar exatamente tornar a celebração mais consciente para cada um deles, para que cada uma das pessoas que faça este curso possa celebrar de maneira mais consciente, perceber o que é que está a acontecer e como é que há de viver esse momento. Porque também é costume as pessoas perguntarem “mas, quando o padre está a consagrar e está a dizer aquelas palavras do relato da instituição da Eucaristia, quando Jesus diz 'fazei isto em memória de mim', o que é que nós devemos estar a fazer neste momento? Qual é que é o nosso papel? Devemos estar em silêncio, devemos estar a rezar uma oração?”. Este tipo de perguntas é muito normal e este curso pretende ajudar a responder a essas perguntas.

Qual é a duração do curso?

Vai decorrer de 3 de dezembro até 27 de janeiro. São seis passos, seis semanas em que vamos abrir um passo a cada semana, tirando a semana do Natal e a do Ano Novo. Portanto vão ser três passos agora em dezembro, e outros três passos em janeiro.

E como é que vai decorrer?

O primeiro passo é ir à missa, a introdução. O que é a celebração, os vários nomes que foi tendo ao longo do tempo, e qual é que é o significado de cada um deles. Dizemos que é a missa, a liturgia, a eucaristia, temos muitos nomes para a mesma celebração. Qual deles é que é o melhor? Qual deles é que é o nome correto? O que é que cada um deles nos diz sobre esta celebração. Depois a questão do próprio ritual, perceber se o ritual faz sentido, ou não, nos nossos dias. Porque é que temos esta prática semanal de ir à missa? Qual é a importância desta celebração, e porque é que os cristãos todos os domingos vão à missa?

O segundo passo é sobre a preparação da celebração e os ritos iniciais, e aqui vamos à sacristia, olhar para os espaços da igreja, perceber o que é que é necessário para que a celebração decorra com toda a dignidade e solenidade necessárias. Sobre os ritos iniciais vamos falar da saudação, do ato penitencial, todo aquele momento de início da celebração, ver o que é que acontece e porque é que não convém chegarmos atrasados nesse momento, porque é de facto a antecâmara de toda a celebração.

No terceiro passo, na terceira semana, vamos falar do primeiro grande momento da celebração, que é Liturgia da Palavra, que deve ser proclamada, não apenas lida. Vamos falar do ambão, da homília.

Já em janeiro falaremos sobre o momento do ofertório, que muitas pessoas pensam que é uma espécie de intervalo, quando na verdade também é um momento preparatório do que vai acontecer depois. Aliás, isto já faz parte do segundo grande momento da missa que é a Liturgia Eucarística, que está dividido em três grandes partes: o ofertório, a oração eucarística, e o momento para que toda a celebração converge, que é o momento da consagração, da narração da última ceia. No sexto e último passo falaremos dos ritos da comunhão e dos ritos da conclusão, com o momento de agradecimento e de despedida, de envio para o mundo.

A cada semana as pessoas vão tendo acesso a vários conteúdos. É possível ir tirando dúvidas?

Vamos seguir o modelo dos cursos de formação à distância que já temos feito, a cada semana abrimos um passo novo, com um vídeo semanal. Teremos um convidado especial, que é o Papa, que tem uma série de catequeses sobre a missa, a eucaristia. Haverá questões de autoavaliação, em que as pessoas sabem logo na hora se acertaram ou não, e aí ou já têm uma boa cultura teológica e de celebração, ou então é mesmo importante estarem com atenção aos vídeos para saberem responder.

Para cada semana será feita uma proposta de oração e um desafio para concretizar na vida real, quotidiana. E vou já dar um exemplo: sobre o segundo passo, da preparação, o desafio é olhar para a forma como nos preparamos para coisas nossas, no dia-a-dia, vermos o que é uma atividade que fazemos bem preparada, versus uma atividade que fazemos mal preparada, e como é que nos sentimos com isso, para percebermos, de facto, no caso da celebração da eucaristia, a necessidade que também há de nos prepararmos. Preparar não só as coisas que são necessárias para que a celebração corra bem, mas também prepararmo-nos interiormente para o momento que vamos viver.

Durante o curso é possível os alunos interagirem?

Haverá um Fórum para partilha e esclarecimento de dúvidas. A cada desafio que formos colocando, no final diremos sempre “se desejar coloque a sua partilha, ou faça o seu comentário”. Esse Fórum servirá para ajudar a esclarecer as dúvidas que as pessoas possam ter, e esperemos que possamos responder a todas, pelo menos dar ferramentas às pessoas para poderem saber mais sobre esse tema.

As inscrições já estão fechadas?

Não, e não há limite para inscrições. Já temos mais de 150. Este é um curso aberto, para a formação das pessoas, não vamos ter avaliação nem acompanhamento de tutoria, por isso as pessoas podem-se inscrever para além do dia 3 de dezembro.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.