A+ / A-

Marcelo saúda acordo, mas ainda tem esperança que Brexit não se concretize

25 nov, 2018 - 09:13 • Eunice Lourenço

O Presidente da República saúda o acordo com os 27 que está em cima da mesa do Conselho Europeu deste domingo.
A+ / A-

Veja também:


Quem acredita na eternidade, mais facilmente acredita que a saída do Reino Unido da União Europeia se concretize. E o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, acredita na eternidade. Ainda assim, saúda o acordo com vista ao Brexit que será discutido este domingo no Conselho Europeu.

“É melhor haver acordo do que não haver acordo e este acordo representou muito trabalho para ultrapassar os problemas de uma decisão que foi a decisão de partirem”, disse o Presidente em declarações à Renascença, à margem do jantar de 100º aniversário da Sociedade Filarmónica Olhalvense, no concelho de Alenquer.

Marcelo começou por salientar a “boa notícia” do desaparecimento da “objeção espanhola”, que punha em causa a própria cimeira deste domingo se não houvesse acordo sobre Gibraltar.

“Mantém-se o acordo entre os 27 em relação ao entendimento com o Reino Unido. Isso é bom. Estiveram unidos durante este tempo todo, continuam unidos, continuarão amigos. Naturalmente, depende daquilo que for a decisão soberana dos órgãos de poder político do Reino Unido – aí não nos podemos substituir – mas tenho a esperança de que eles perceberão que é do interesse dos britânicos, como é do interesse dos europeus continentais haver este acordo”, continuou o chefe de Estado português.

Questionado sobre se ainda tem esperança que o Brexit volte atrás e não se concretize, o Presidente respondeu com fé: “A vida não termina amanhã e, portanto, vamos por passos”.

“Eu acredito na eternidade e se acredito na eternidade por maioria de razão acredito que, mesmo neste mundo, pode haver um dia uma situação em que os britânicos venham a reconhecer que era mais útil, é mais útil e seria mais útil estarem juntos connosco”, espera Marcelo.

Mas, continuou, “vamos resolver cada problema a seu tempo”. Agora, o tempo “é resolver o acordo”: os europeus já resolveram, depois é preciso que esse mesmo acordo seja aprovado no Reino Unido, onde é notória a divisão mesmo dentro do Governo. Por fim, será preciso que “comece a ser aplicado e se olhe para o futuro e se construa o futuro”.

Elogio das filarmónicas

Marcelo Rebelo de Sousa, que recebe centenas de convites para aniversários de coletividades, rompeu o seu princípio de não aceder a nenhum por não poder ir a todos para ir ao centenário da Sociedade Filarmónica de Olhavo, uma freguesia do concelho de Alenquer, onde fez o elogio das coletividades e, sobretudo, das filarmónicas.

À chegada, o Presidente disse que estava ali, em primeiro lugar, para expressar “gratidão a quem durante 100 anos esteve a servir o povo desta terra”.

Em segundo lugar, salientou o “mérito de formar jovens”. Com 100 anos de história, a SFO teve sobretudo nos últimos 30 anos, uma formação importante de juventude. “É uma importante tarefa educativa. Não é só servir a comunidade, é educar e formar a comunidade”, frisou Marcelo, salientando que “há cultura de várias maneiras e a cultura popular é uma forma de cultura muito importante e as filarmónicas têm um papel essencial na cultura popular”.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • 25 nov, 2018 12:41
    Em borba o presidente esteve mais do que bem!