A+ / A-

Costa responde a Bruxelas comparando previsões com resultados

09 nov, 2018 - 12:50

A reação do primeiro-ministro surge através do Twitter, depois de a Comissão Europeia estimar um abrandamento no crescimento da economia portuguesa, abaixo das previsões do Governo.
A+ / A-

O primeiro-ministro, António Costa, reagiu esta sexta-feira, através da sua conta do Twitter, às previsões da Comissão Europeia de abrandamento do ritmo de crescimento da economia portuguesa, comparando estimativas feitas por Bruxelas nos anos anteriores com os resultados obtidos.

De acordo com os dados do quadro que António Costa publicou, em 2016, as previsões da Comissão para o PIB, divulgadas no início de 2015, apontavam para um crescimento de 1,7% e o número final foi 1,9%. O mesmo se verificou em 2017 (1,8% de previsão e 2,8% de crescimento realmente alcançado).

Quanto aos dados do desemprego, as previsões de Bruxelas também ficaram aquém. A taxa de desemprego foi em 2016 de 11,1% enquanto as previsões eram de 11,7%. Em 2017 a previsão de desemprego foi de 10,8% e o número real foi de 8,9%.

O mesmo sucedeu quanto aos valores do défice orçamental: em 2016 a previsão da Comissão Europeia apontavam para 2,9% e na realidade o número ficou em 2%.

Para 2017, a Comissão Europeia previa um défice de 3,5% do PIB e no quadro apresentado pelo primeiro-ministro é colocado um valor real do défice de 0,9% do PIB. No entanto, o valor apresentado por António Costa não leva em conta a recapitalização da Caixa Geral de Depósitos (CGD) pois caso o fizesse, então, o valor do défice seria de 3% do PIB.

Quanto aos anos de 2018 e 2019, o quadro apresentado pelo primeiro-ministro compara as previsões da Comissão Europeia com as do Ministério das Finanças, não sendo ainda possível fazer prova de quais irão ficar mais próximas da realidade.

A informação do chefe do executivo português surge um dia depois de a Comissão Europeia estimar um abrandamento do ritmo de crescimento da economia portuguesa, para 2,2% este ano e 1,8% no próximo, abaixo das previsões do Governo, cujas estimativas são respetivamente de 2,3% e 2,2%.

A Comissão Europeia estima também que o défice português recuará uma décima entre este ano e o próximo, antecipando um valor de 0,6% do PIB para 2019, acima das previsões do Governo, que apontam para um défice de 0,2% em 2019 e de 0,7% em 2018.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Filipe
    09 nov, 2018 évora 13:23
    A economia desenvolveu-se ? Talvez na forma de virtual de WebSumit , pois as pessoas investiram em compras com dinheiro emprestado e vão ter de o pagar durante muitos e muitos anos e o que pode acontecer durante esse período , pois pois . Estes Ministros sabem que antes da CEE Portugal fabricava Escudos e agora parece que mudou o Governo para a Gerigonça e de repente as pessoas aprenderam a plantar 1 euro e a colher 2 euros ...