A+ / A-

“Shadow Game”. GNR desmantela rede de jogo ilícito

09 nov, 2018 - 10:29

A operação decorreu em Portugal e no Luxemburgo. A rede operava em sete países em simultâneo.
A+ / A-

A GNR deteve 31 pessoas durante a operação “Shadow Game”, de combate ao jogo ilícito através de plataformas online e jogos de fortuna ou azar.

Na operação estiveram empenhados cerca de mil militares, que realizaram 267 buscas domiciliárias e não domiciliárias em Portugal e oito no Luxemburgo. Sete das detenções foram em flagrante delito, indica a GNR em comunicado enviado esta sexta-feira.

Foram ainda constituídas arguidas 14 sociedades comerciais e 93 pessoas singulares de nacionalidades portuguesa, brasileira, luxemburguesa e suíça.

Como resultado da operação foram também recuperados 600 mil euros em numerário, três mil dispositivos informáticos utilizados para a exploração do jogo, apostas e lotarias ilícitas, 86 veículos de gama média e alta e 22 armas de fogo.

Os ativos detidos pelos suspeitos, em território nacional e no Luxemburgo, foram avaliados em cerca de seis milhões de euros.

Esta rede agora desmantelada operava em sete países em simultâneo: Portugal, Bélgica, Brasil, França, Luxemburgo, Moçambique e Suíça.

O grupo explorava e expandia, de forma ilícita, domínios sediados em servidores identificados e software para o desenvolvimento de jogos de fortuna e azar, lotarias e apostas desportivas, com base na disponibilização de hardware a uma extensa teia de operadores locais e exploradores de estabelecimentos de restauração e bebidas.

Conseguiram gerar assim uma receita estimada de 80 milhões de euros, sobre a qual se defraudou o pagamento dos tributos devidos em cada um dos referidos países.

Dada a dimensão transnacional dos ilícitos, a operação “Shadow Game” contou com a cooperação policial, o patrocínio e o apoio operacional da EUROPOL e, no âmbito da coordenação da cooperação judiciária, a intervenção do EUROJUST.

Os detidos começaram a ser presentes a tribunal na quarta-feira, dia 7, em Setúbal, e estão indiciados pela prática dos ilícitos criminais de exploração ilícita de jogo de fortuna ou azar, exploração ilícita de jogos e apostas online, apostas desportivas à cota de base territorial, associação criminosa, fraude fiscal qualificada e branqueamento de capitais.

Nenhum dos suspeitos ficou preso depois do interrogatório. Saíram com a medida de coação menos gravosa, ou seja, com termo de identidade e residência.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.