A+ / A-

Governo aprovou proposta de Orçamento

13 out, 2018 - 22:29

Documento será entregue no Parlamento na segunda-feira.
A+ / A-

O Governo aprovou a proposta de Orçamento do Estado para 2019, o relatório e as Grandes Opções do Plano e o Quadro Plurianual de Programação Orçamental.

A reunião do Conselho de Ministros para aprovar a proposta de Orçamento começou pelas 11h00 e terminou por volta das 22h00.

O documento será entregue no Parlamento na segunda-feira.

Numa nota do executivo, a que a Renascença teve acesso, lê-se que "o Governo aprovou hoje a proposta de lei do Orçamento do Estado para 2019, o relatório que o acompanha, as Grandes Opções do Plano e o Quadro Plurianual de Programação Orçamental".
Na passada terça-feira, ao abrigo do estatuto da oposição, o ministro das Finanças, Mário Centeno, recebeu os partidos com representação parlamentar e comunicou-lhes o cenário macroeconómico previsto pelo Governo para o próximo ano.
A proposta do Governo de Orçamento do Estado prevê em 2019 um crescimento de 2,2%, um défice de 0,2%, um desemprego de 6,3% e uma redução da dívida pública para 117% do Produto Interno Bruto.
Na Assembleia da República, a proposta orçamental do Governo será discutida e votada na generalidade nos próximos dias 29 e 30. A votação final global está agendada para 29 de novembro.


Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Filipe
    13 out, 2018 évora 23:08
    Baixarem o IVA da gente dos espetáculos onde essa gente faz concertos dia sim dia sim e onde as admissões aos concertos são vendidos bilhetes a altos valores sem recibo ou fatura de quitação , quanto o Estado sabe se 50 mil pessoas que pagaram entrada vai depois esses 50 mil pagarem daí IVA ? Até podiam dizer que tiveram mil pessoas , o Estado come e embrulha . Para mais , a quantidade de concertos e espetáculos em Portugal está repleto de artistas oriundos de fora de Portugal que não pagam IVA e onde o interesse lá dentro depois é vender cerveja , novamente sem recibo ou fatura de quitação , até podem dizer que venderam 1 litro de cerveja , o Estado come e embrulha . Uma vergonha Nacional , baixarem o IVA a quem já foge ao fisco e os pobres que utilizam produtos de 1ª necessidade pagam a 23% , uma vergonha . o Estado que demonstre quanto é a receita daqueles famosos concertos das grandes operadoras em Portugal e daí quanto recebe de imposto vs o que as pessoas pagam , calculando os milhares que assistem todos os dias ... vá façam contas e informem , coragem !