A+ / A-

A Renascença errou

30 set, 2018 - 18:57

A+ / A-

A Renascença errou ao dar, numa primeira instância, a morte do historiador de arte José-Augusto França, de 95 anos.

A Renascença citava o jornal Público, que avançou a notícia da morte este domingo de um dos maiores nomes da historiografia da arte em Portugal, citando o também historiador Vítor Serrão.

Fonte do Ministério da Cultura desmentiu à Renascença a morte de José-Augusto França.

O diário Público, que deu a primeira notícia, pede desculpa aos leitores pelo erro.

Pelo lapso a Renascença pede desculpa a José-Augusto França, aos familiares e aos leitores e ouvintes.

[notícia corrigida às 19h29]



Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Miguel
    30 set, 2018 Porto 20:23
    Entao e os senhores que também deram a morte do homem, não acham que deviam pedir desculpa também? Limitam-se a noticiar que o jornal Público pede desculpa?
  • JS
    30 set, 2018 Lisboa 20:12
    Bom seria que a Renascença começasse por se desmentir e corrigir a si própria, em vez de desmentir outros. Só agora é que se lembram de confirmar a notícia? Isso não devia ser feito logo de início? Lamento muito, muito, o vosso jornalismo, dito de inspiração cristã, que devia ser exemplo e farol. E isto poucos dias após as Jornadas das Comunicações Sociais... E a mensagem do papa Francisco sobre as fake news, conhecem?