A+ / A-

Cinecôa presta homenagem ao produtor Paulo Branco

25 set, 2018 - 10:34 • Olímpia Mairos

O cinema volta a invadir o Vale do Côa numa mostra de filmes de várias épocas, géneros e países. A mostra tem entrada gratuita e espera receber três mil pessoas.
A+ / A-

O produtor de cinema Paulo Branco, defensor do cinema europeu, vai ser homenageado no Festival Internacional de Cinema de Foz Côa - Cinecôa, que decorre de 27 a 29 de setembro.

Na homenagem, está prevista a exibição da longa-metragem 'Caderno Negro', uma coprodução luso-francesa, realizada pela chilena Valeria Sarmiento e produzida por Paulo Branco, que fez sensação no festival de Toronto.

O filme é inspirado na obra de Camilo Castelo Branco, conta com a participação da atriz francesa Lou de Laâge, como protagonista, e dos portugueses Victoria Guerra, Catarina Wallenstein e Filipe Vargas.

“Vamos ter oportunidade de ver, pela primeira vez, em Portugal, o filme já aclamado ‘O Caderno Negro’, o que é algo mesmo muito novo”, afirma o produtor do Cinecôa, António Valente.

A estreia da longa-metragem em território nacional está anunciada para 11 de outubro, pela Leopardo Filmes. A presença em Foz Côa acontece logo depois de ser exibida em competição no consagrado Festival de San Sebastian.

Pelo auditório de Vila Nova de Foz Côa vão passar 15 filmes de diversos pontos do globo, como o Irão, Rússia, Brasil, Portugal e Espanha.

Edição com ligação à música

Para as crianças haverá um espaço de destaque ao longo do festival, com filmes de imagem real e de animação.

Segundo a organização, a edição deste ano do Cinecôa oferece também “uma forte ligação à música, com a exibição do filme ‘Uma Vida Sublime’, de Luís Diogo, agendado para o dia 28 de setembro, que será seguida de um concerto dos Moonshiners”.

Está também previsto uma sessão do documentário que foi uma pequena surpresa nas bilheteiras, ‘Setembro - A Vida Inteira, de Ana Sofia Fonseca, “saga dócil sobre as famílias em Portugal, que fazem vinho com amor”.

A sessão de encerramento vai fazer-se com o maestro e compositor António Vitorino de Almeida a interpretar músicas de filmes.

Com organização da Câmara Municipal de Vila Nova de Foz Côa, o Cinecôa acontece desde 2011, ano da sua estreia, e já homenageou ou contou com a presença de figuras marcantes do cinema, como Manoel de Oliveira, Lisandro Alonso, Benoît Jacquot, Teresa Villaverde, António-Pedro Vasconcelos, Tino Navarro e Hugh Hudson. Paulo Branco é a personalidade em destaque, este ano.

A entrada, no festival, é gratuita e são esperadas cerca de três mil pessoas ao longo dos três dias.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.