Tempo
|
A+ / A-

Salário entre homens e mulheres terá de ser igual quando o trabalho é igual

21 ago, 2018 - 20:27

Agora é lei, publicada em "Diário da República", e faz parte de medidas de promoção da igualdade remuneratória.

A+ / A-

A partir de janeiro de 2019, um homem e uma mulher que desempenhem a mesma função terão de auferir o mesmo salário.

A lei agora publicada resulta de uma proposta do Governo e, segundo um comunicado da secretaria de Estado da Igualdade, visa “promover um combate eficaz às desigualdades remuneratórias entre mulheres e homens”, no sentido de efetivar o princípio “do salário igual para trabalho igual ou de igual valor.”

O mesmo documento reconhece que se é verdade que o princípio da igualdade de remuneração entre mulheres e homens por trabalho igual ou de igual valor está consagrado nos tratados da UE há 60 anos, a verdade é que continuam a existir assimetrias muito significativas entre mulheres e homens, desde logo no plano remuneratório.

Os dados mais recentes indicam que os salários médios das mulheres são inferiores em 15,8% aos dos homens. Isto significa que a disparidade salarial em Portugal corresponde a uma perda de 58 dias de trabalho remunerado para as mulheres.

Para conseguir atinguir este objetivo passa a ser exigido às empresas (independentemente da sua dimensão) que assegurem uma política remuneratória transparente, assente na avaliação das componentes dos postos de trabalho e com base em critérios objetivos.

A mesma lei quer ainda consagrar a presunção de discriminação remuneratória nos casos em que o trabalhador alegue estar a ser discriminado e o empregador não apresente uma política remuneratória transparente, que permita demonstrar que as diferenças alegadas se baseiam em critérios objetivos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • maria de fatima
    22 ago, 2018 cascais 12:08
    Bom dia, qual é a lei? Numero do Decreto?Procurei no Google e não encontrei.
  • Americo
    21 ago, 2018 Leiria 21:50
    Boa noite. Mais uma li para "desconsiderar" as mulheres. As mulheres não precisam deste "...........". Isto é só para quem não se consegue afirmar profissionalmente. Trabalho igual, tem de ter salário igual. Isso deveria ser uma normalidade.

Destaques V+