Tempo
|
A+ / A-

Trump já admite, mas desvaloriza interferência russa nas eleições

17 jul, 2018 - 19:31

Numa tentativa de acalmar a contestação interna, Donald Trump garante ter total confiança nos serviços secretos.

A+ / A-
"Foi estranho". Trump diz que confia nos serviços secretos e a luz apaga-se
"Foi estranho". Trump diz que confia nos serviços secretos e a luz apaga-se

A Rússia interferiu nas eleições norte-americanas de 2016, mas sem impacto no resultado final, afirmou esta terça-feira o Presidente norte-americano, Donald Trump.

O líder norte-americano fez esta declaração aos jornalistas, na Sala Oval da Casa Branca, um dia depois da cimeira com o homólogo russo, Vladimir Putin, que motivou uma chuva de críticas, inclusivamente, do Partido Republicano.

Numa tentativa de acalmar a contestação interna, Donald Trump garante agora ter total confiança nos serviços secretos e aceita os resultados da investigação à interferência russa nas eleições.

O Presidente norte-americano também tentou esclarecer as suas declarações na cimeira de segunda-feira, em Helsínquia, com Vladimir Putin. Segundo Trump, o que queria dizer era que não via razão para negar a interferência russa nas eleições de 2016.

Garante que a sua adminitração vai atuar de forma "agressiva" para impedir novos ataques informáticos durante a próxima campanha eleitoral de 2018.

Donald Trump explica que na cimeira com Putin falaram sobre a guerra na Síria, as ambições nucleares do Irão, desnuclearização da Coreia do Norte e da segurança de Israel.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Vitor
    18 jul, 2018 lisboa 10:06
    Trump ganhou as eleições contra republicanos,democratas e certas elites.Este conjunto de comandos que ficaram defraudados com perda da presidencia continuam a refinar a sua ação contra Trump.Chegarao em breve eleições e depois novamente as Presidenciais e aí terão a oportunidade de derrubar Trump.O voto é que conta nem q o mesmo esteja errado.Trump parece errático mas é um simples e nato provocador e tem metas a atingir.Se olharmos para a histeria levantada parece q vai perder estrondosamente as próximas eleiçoes.Será?Obama poderá candidatar-se novamente?tem intervindo politicamente ao contrario dos seus antecessores,será o prenuncio?
  • Anónimo
    17 jul, 2018 23:59
    Que palhaçada.
  • JMC
    17 jul, 2018 USA 23:16
    A desculpa mentirosa é uma aldrabice usada pelo cobarde––entretanto, neste caso, é usada por um “rei” que tem impunidade absoluta, pois a base de apoio de Trump vai acreditar! Vão ver em breve. Ao candidatar-se em Sioux Center, Iowa, no dia 23 de Janeiro 2016, Trump declarou o seguinte: “Eu podia estar no meio da 5ª Avenida {em Nova Iorque} e disparar contra alguém sem perder quaisquer votos.” Como ele estava certo em relação ao partido republicano.