Tempo
|
A+ / A-

Igreja da Nicarágua suspende mediação da crise política após agressões a bispos

10 jul, 2018 - 13:00

Dois bispos e o núncio apostólico no país foram agredidos por um grupo de paramilitares na Basílica de San Sebastián.

A+ / A-

A Igreja católica da Nicarágua suspendeu a mediação que estava a fazer da crise política, depois das agressões a dois bispos e ao núncio apostólico naquele país.

A decisão foi anunciada pela Conferência Episcopal, que num comunicado citado pela agência Ecclesia lamenta e repudia o que aconteceu - um momento "muito triste", como afirmou o arcebispo de Manágua, um dos agredidos, citado pelo Vatican News.

Para além de Leopoldo Brenes, foi também agredido o seu bispo auxiliar, Silvio Báez, e o representante diplomático da Santa Sé no país, Waldemar Somertag.

O incidente ocorreu na segunda-feira, quando um grupo de paramilitares entrou de forma violenta na Basílica de San Sebastián, em Diriamba, a 40 km de Manágua, agredindo os bispos e também jornalistas que ali se encontravam, que tinham ido tentar libertar um grupo de doentes e missionários franciscanos que estavam sitiados no local.

Pelo menos 320 pessoas já morreram desde abril, quando se iniciaram os protestos contra o Governo de Daniel Ortega.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+