Tempo
|
A+ / A-

Associações de pais querem lei que proteja alunos das greves dos professores

10 jun, 2018 - 12:48

Em causa estão as reuniões de Conselho de Turma de Avaliação, que não se podem realizar sem a totalidade dos professores, podendo pôr em causa a realização de provas nacionais.

A+ / A-

A Confederação de Associações de Pais (Confap) pede que o Governo altere a lei, garantindo que as greves dos professores não prejudiquem os alunos.

Em causa está a greve às reuniões de avaliação, convocada pelo novo sindicato S.T.O.P.

Em declarações à Renascença, Jorge Ascensão, da Confederação de Pais, explica que não é só a avaliação que está em causa, é também o futuro dos alunos: “A greve compromete muito mais que a avaliação. Ao comprometer toda a conclusão do ano letivo, vai ter implicação no futuro e nas decisões que os jovens poderão tomar. E depois toda esta incerteza, terminaram neste momento todo um plano de trabalho denso e agora que têm que ter um tempo de tranquilidade e concentração para se preparar, estão com esta incerteza e instabilidade emocional.”

A Confap pede, por isso, ao Governo que altere com urgência a lei que diz que basta faltar um professor para impedir a realização dos conselhos de turma.

“É possível, com um despacho, o Governo poder agilizar esta divulgação das avaliações. Estamos a falar de Conselho de Turma de Avaliação, que são praticamente um pró-forma de avaliações que já estão lançadas.”

“Acho que é necessário não ficar dependente de um órgão que praticamente nada acrescenta à avaliação. No imediato é preciso perceber se faz sentido ser necessário estarem todos os professores no Conselho de Turma, para que as notas sejam lançadas”, conclui.

A greve às reuniões de avaliação que começaram na segunda-feira afetam os alunos do 9.º, 11.º e 12.º anos, que este ano fazem exames nacionais, provas que só se podem realizar depois de divulgadas as notas.

Todas as restantes estruturas sindicais, entre as quais a Fenprof e a FNE, também marcaram uma greve às avaliações, mas apenas a partir de dia 18, para acautelar a situação dos estudantes que têm exames nacionais.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+