Emissão Renascença | Ouvir Online

Salário mínimo pode aumentar mas já é menor do que no ano da Revolução

12 abr, 2014

Decorrem nesta altura conversações entre Governo e parceiros sociais sobre a actualização do salário mínimo nacional para os 500 euros. Um valor que, ainda assim, ficará abaixo do fixado há 40 anos.

Salário mínimo pode aumentar mas já é menor do que no ano da Revolução
O salário mínimo nacional vale hoje menos 50 euros do que em 1974, o ano em que foi criado e foi fixado em 3.300 escudos (actuais a 534,75 euros, de acordo com o índice de preços do consumidor divulgado pelo Instituto Nacional de Estatístico e as contas feitas pela agência Lusa).

Hoje, o valor pago é 485 euros, o que significa que os trabalhadores que recebem o salário mínimo perderam poder de compra.

A criação do salário mínimo nacional (SMN) foi uma das primeiras medidas tomadas após a Revolução. Desde 2011, o valor do salário mínimo nacional é de 485 euros por mês, menos de 49,75 euros do que a remuneração fixada em Maio de 1974.

Em Abril, o primeiro-ministro relançou a discussão sobre a melhoria do salário mínimo nacional.

"Digo hoje perante o país que o Governo está disponível para aprofundar o esforço de concertação, de modo a trazer para cima da mesa a discussão da melhoria do salário mínimo nacional e a revisão do que tem a ver com as condições da negociação colectiva", afirmou Pedro Passos Coelho durante a sua intervenção no encerramento do 13.º Congresso Nacional dos Trabalhadores Social Democratas, em Albufeira.

O chefe do Governo afirmou ainda que o Governo "está disponível para fazer concessões".

Em Dezembro de 2006, foi assinado um acordo entre o Governo, representantes dos patrões e dos trabalhadores, em concertação social, que previa que a remuneração mínima chegasse a 500 euros em 2011.