“Burricidade” vai a Lisboa este fim-de-semana

24 mai, 2013 • Olímpia Mairos

Durante dois dias, miúdos e graúdos podem contactar com os burros mirandeses e descobrir o mundo rural do Planalto Mirandês, através de fotografia, vídeo, música e danças tradicionais.
“Burricidade” vai a Lisboa este fim-de-semana
A Associação para o Estudo e Proteção do Gado Asinino (AEPGA) vai mostrar, em Lisboa, algumas das actividades rurais do Nordeste Transmontano. A iniciativa, denominada “burricidade”, está marcada para este sábado e domingo e quer alertar para a “necessidade” de conservar e preservar o burro mirandês, uma raça autóctone em vias de extinção.

"Queremos reunir um conjunto de especialistas de diversas áreas do saber, numa série de iniciativas de índole rural, que representem a cultura nordestina, como forma de descentralizar diversas actividades que são apreciadas por quem visita a região", refere à Renascença Miguel Nóvoa, da AEPGA.

A reflexão sobre o mundo rural em "transformação" é outro dos objetivos do evento que promete muita música e debate em torno das questões ligadas à ruralidade da região.

"Com as gaitas de fole afinadas e os burros preparados para fazerem o caminho, a cultura nordestina quer dar-se a conhecer nos grandes espaços urbanos", frisa Miguel Nóvoa, que destaca a realização da “aula do burro” como “uma oportunidade para as crianças e os jovens de Lisboa contactarem com o burro de Miranda”.

As actividades estão programadas para sábado e domingo e vão decorrer em dois espaços culturais de Lisboa: a Galeria da Livraria "Ler Devagar" e a Fábrica XL - Lx Factory.

Durante dois dias, miúdos e graúdos podem assim contactar com os burros de Miranda e partir à descoberta do mundo rural do Planalto Mirandês, através de fotografia, vídeo, música e danças tradicionais.