Tempo
|

Curso no Porto ensina doentes a viver com a dor crónica

06 set, 2013 • Vítor Mesquita

“Um dos grandes objectivos é facultar a ideia que o doente tem de ser elemento activo no seu processo terapêutico”, explica a coordenadora.  

Vai decorrer na zona do Porto um minicurso a pensar nos que sofrem de dor crónica. A ideia, que nasceu na Faculdade de Medicina do Porto, vai ser aplicada, este ano, pela primeira vez em Portugal.

As aulas começam já em Setembro e o alargamento da iniciativa a outras zonas do país não está posta de lado

O grande objectivo da “Escola para pessoas com dor” é ensinar a viver com a dor crónica.

A coordenadora do projecto, Carina Raposo, refere que os portugueses nem sempre estão bem informados sobre a doença.

“Existem muitos mitos à volta da dor, os doentes sentem-se muitas vezes perdidos e não são capazes de encontrar um caminho para se cuidarem. Um dos grandes objectivos é facultar a ideia que o doente tem de ser elemento activo no seu processo terapêutico.” 

Vão ser seis sessões onde médicos, psicólogos e enfermeiros ajudam a definir estratégias para diminuir os efeitos da dor crónica no dia-a-dia.

Carina Raposo acrescenta que a interactividade e a troca de experiências entre alunos é um trunfo para os doentes: “Nenhum adulto muda só ao receber informação. As seis sessões planeadas vão ser interactivas, participativas, onde vai haver partilha de informação”.

As aulas começam a partir do dia 14, na Faculdade de Medicina do Porto. Para já são reservadas apenas a pacientes do Grande Porto.

Depois desta fase de arranque, os organizadores esperam alargar a iniciativa a outras zonas do país.