Tempo
|

Alemanha aprova lei que protege circuncisão

13 dez, 2012

Debate sobre a legalidade da circuncisão começou em Maio quando um tribunal estadual em Colónia declarou que a prática representava danos corporais sobre menores.

Alemanha aprova lei que protege circuncisão
O Parlamento alemão aprovou, por larga maioria, uma lei que garante a legalidade da circuncisão por razões religiosas naquele país.

A nova lei sobrepõe-se a uma decisão do tribunal estadual de Colónia, em Maio, que decretou que a circuncisão de menores equivalia a danos corporais, tornando ilegal o procedimento naquele Estado.

Como consequência iniciou-se um debate sobre a circuncisão que chegou a todo o país e Estados vizinhos, como a Suíça e a Áustria e várias outras regiões autónomas dos três países decidiram suspender todas as circuncisões até que a questão fosse clarificada.

A circuncisão é uma prática central para os judeus. Todos os rapazes devem ser submetidos a ela no oitavo dia de vida. Também os muçulmanos circuncidam todos os rapazes, mas as datas variam segundo as tradições particulares de cada local.

A nova lei estipula que a circuncisão por razões não médicas é legal desde que os pais sejam informados dos riscos da intervenção e foi bem acolhida pela comunidade judaica da Alemanha: “Este voto e o compromisso demonstrado para proteger esta prática tão importante para a religião judaica é uma mensagem firme para a nossa comunidade no sentido da continuação e florescimento da vida judaica na Alemanha”, afirmou o representante Moshe Kantor.

Também os bispos católicos saudaram a decisão, manifestando a esperança de que assim se salvaguarde a liberdade religiosa no país.