Aliança Evangélica promove semana de oração por Portugal

20 set, 2012 • Filipe d’Avillez

“Acrescentar neste momento uma crise política às crises social, económica e financeira é tornar mais difícil a vida para todos”, considera o pastor Jorge Humberto.  

Aliança Evangélica promove semana de oração por Portugal
A Aliança Evangélica, que representa cerca de 250 mil pessoas em Portugal, está a promover uma semana de oração por Portugal, motivado pelo espectro de uma crise política no Governo.

Sobre a possibilidade de o fim da coligação, o pastor Jorge Humberto escreve, em nome da direcção: “Acrescentar neste momento uma crise política às crises social, económica e financeira, com as quais temos convivido nestes últimos tempos, com os resultados devastadores que todos nós conhecemos, é tornar ainda mais difícil a vida para todos”.

“Uma crise política representa mais juros da dívida pública, mais estagnação, e mais desemprego. Representa mais famílias a viver o drama da falta recursos, mais jovens a verem o seu futuro adiado, mais caos social e acima de tudo o adiar da esperança”, pode ler-se ainda na carta dirigida aos membros da Aliança.

Os cristãos evangélicos, de tradição protestante, consideram ser seu dever rezar pelo bem do país: “Como cristãos responsáveis, este momento exige que façamos uso da nossa condição de intercessores e assim levantarmos um clamor diante Deus em favor da nossa Nação.”

A semana de oração já teve início ontem, com um dia dedicado às preces por todos aqueles que precisam de emprego. Hoje, dia 20, as orações são pelos “líderes políticos, para que tomem decisões sábias”.

A sexta-feira, dia 21, fica reservada para o Conselho de Estado, que se reúne a pedido do Presidente da República e o Sábado pelas igrejas e famílias atingidas pela crise financeira.

Até ao dia 26 de Setembro, quarta-feira, vai-se rezar ainda pela unidade da Igreja em Portugal, pelos líderes das comunidades evangélicas e pela “solidariedade social em relação aos excluídos socialmente”.