Tempo
|

Holanda

Senado chumbará lei que proíbe matança ritual de animais

15 dez, 2011

Proposta afectaria tanto judeus como muçulmanos, que se juntaram para protestar contra a medida.

O senado holandês deverá chumbar uma lei que proibiria a matança de animais segundo rituais judaicos e muçulmanos.

A lei, que passou no parlamento, foi proposta pelo Partido dos Direitos dos Animais. Apesar de ter apenas dois deputados a medida conseguiu reunir consenso e foi aprovada. A entrar em vigor a medida obrigaria a atordoar os animais antes de os abater. Contudo, para judeus e muçulmanos, é necessário que os animais estejam conscientes na altura em que são mortos.

A lei europeia já obriga ao atordoamento, mas prevê excepções por motivos religiosos.

O debate sobre a lei levou a uma aliança entre grupos judaicos e islâmicos em defesa do status quo. Outras confissões religiosas, incluindo a Igreja Católica, juntaram-se na oposição à lei, afirmando tratar-se de uma questão de liberdade religiosa.

A proposta irá a votos no senado holandês na próxima semana e já é certo que não reunirá apoios suficientes para passar, sobretudo com o anúncio por parte do Partido Trabalhista de que votará contra, invertendo a posição dos seus deputados na câmara baixa.

Em declarações à Reuters o presidente do Conselho Mundial de Judeus, Ronald Lauder, considera que o chumbo da lei representa uma vitória “da razão e da liberdade religiosa sobre o zelo político”.