Livro conta a história da Acção Católica

06 dez, 2011 • Aura Miguel

Paulo Oliveira Fontes analisa a evolução do movimento numa época de reajuste na ditadura de Salazar e quando a Igreja Católica já preparava o Concílio Vaticano II.

O livro “Elites Católicas – O papel da Acção Católica 1940-1961” foi apresentado esta segunda-feira, na Universidade Católica de Lisboa.

A obra, da autoria do investigador da Universidade Católica, Paulo Oliveira Fontes, analisa a evolução dos movimentos da Acção Católica numa época de reajuste na ditadura de Salazar e quando a Igreja Católica já preparava o Concílio Vaticano II.

“O livro cruza o estudo de uma instituição, que foi a Acção Católica Portuguesa, que existiu em Portugal entre 1933 e 1974, que foi, talvez, a organização mais significativa do ponto de vista da presença social da Igreja na sociedade portuguesa de então”, explica Paulo Oliveira Fontes.

A Acção Católica, refere, teve um “envolvimento muito grande ao nível do laicado católico”, definindo-se como uma escola de formação das elites católicas.

O Bispo do Porto D. Manuel Clemente e o sociólogo Luís Salgado de Matos participaram neste sessão de lançamento.

Luís Salgado Matos valoriza a investigação histórica do autor e sublinha que o estilo de hoje é muito diferente daquela época.

“Provavelmente, a maioria dos leigos militantes, se fossem confrontados com o modelo da Acção Católica, achá-lo-iam mais social do que religioso. No meu tempo, passavam a vida a meter cartazes, chagavam toda a gente a vender o «Encontro» uma vez por mês, a presença da Igreja na universidade era muito mais forte do que é hoje ”, recorda o sociólogo.