Tempo
|

Monarquia

Sucessores de Isabel II vão passar a poder casar com católicos

28 out, 2011

Dezasseis países que partilham a rainha Isabel II como chefe de Estado acordaram unanimemente alterar as leis de sucessão ao trono.

Sucessores de Isabel II vão passar a poder casar com católicos
Os sucessores de Isabel II, que é rainha, em simultâneo, de dezasseis países diferentes, vão passar a poder casar com católicos sem terem de abdicar dos seus direitos ao trono.

As actuais leis de sucessão indicam que fica excluída do trono qualquer pessoa que se case com um católico, mas a mesma lei não proíbe o casamento com pessoas de outras religiões ou  sem religião.

Numa reunião dos países da Commonwealth, na Austrália, os países que partilham o monarca acordaram fazer esta alteração, pelo que agora será necessário cada Estado aprovar a devida legislação.

Os reinos abrangidos acordaram, ainda, em alterar a lei que dava prioridade aos filhos de sexo masculino na sucessão. Assim, se o primeiro bebé dos príncipes William e Kate for uma menina, ela será a herdeira ao trono a seguir ao pai, mesmo que venha a ter irmãos mais novos do sexo masculino.

Há muito tempo que se falava em alterar estas leis, com a Igreja Católica no Reino Unido a queixar-se da discriminação das medidas, mas qualquer proposta nesse sentido era constantemente adiada devido à confusão implícita na alteração de legislação em tantos países diferentes.

Além do Reino Unido, Isabel II é rainha do Canadá, Austrália, Nova Zelândia, Jamaica, Barbados, Bahamas, Granada, Papua Nova Guiné, Ilhas Salomão, Tuvalu, Santa Lucia, Ilhas de St. Vincent, Belize, Antigua e Barbuda e das ilhas de St. Kitts e Nevis.

Todos estes países fazem parte da Commonwealth, a qual é chefiada por Isabel II, mas nem todos os estados do Commonwealth são monarquias.