Papa confia a Deus "pastor apaixonado pela busca da verdade"

13 mar, 2014 • Filipe d’Avillez

Também o secretário de Estado Pietro Parolin manifestou as suas condolências pela morte de D. José Policarpo.  

Papa confia a Deus "pastor apaixonado pela busca da verdade"
A Santa Sé publicou esta quinta-feira o telegrama de condolências enviado à Igreja portuguesa por causa da morte de D. José Policarpo.

O Papa Francisco diz que foi com pesar que recebeu a notícia do falecimento do Cardeal e manifesta o desejo de expressar a sua “união de oração com o Patriarcado de Lisboa, a família e quantos choram a sua morte inesperada.”

Lê-se ainda no comunicado: “Confio à misericórdia de Deus o amado Cardeal, recordando-me da sua preciosa colaboração nos diferentes organismos da Santa Sé e dos meus encontros com este pastor apaixonado pela busca da verdade. Ele era solícito em colocar os dons recebidos do Senhor ao serviço do povo de Deus e dos seus irmãos bispos sobretudo nos anos que o viram presidente da Conferência Episcopal.”

“Dou graças ao Pai do Céu pelo seu ministério episcopal em que ele se prodigalizou com generosidade conduzindo pelos caminhos do Evangelho o povo que lhe fora confiado, com o mesmo zelo com que realizara os seus serviços precedentes, nomeadamente na Universidade Católica Portuguesa.”

O Papa concede ainda uma bênção apostólica a todos os que participarem nas exéquias, e confia “à materna protecção da Virgem Maria os seus doridos bem como o senhor Patriarca [D. Manuel Clemente], quantos o coadjuvam no seu ministério e todos os fiéis do Patriarcado”.

"Serviu tanto o seu próprio povo como a Igreja universal"
O Secretário de Estado do Vaticano também enviou um telegrama à Igreja Portuguesa. O Cardeal Pietro Parolin escreve: “Uno-me a vós no momento em que confiais à misericórdia do nosso pai celestial este zeloso pastor que, com grande sabedoria e generosidade, serviu tanto o seu próprio povo como a Igreja universal, e rezo para que o seu exemplo de ministério fiel ao Evangelho inspire todos os cristãos a renovarem a própria dedicação à edificação do reino de Deus, na verdade e na caridade.”

O corpo de D. José Policarpo chega às 15h00 à Sé de Lisboa onde ficará em câmara ardente. Logo a seguir haverá celebração de missa de corpo presente.
A urna com os restos mortais ficará na Igreja, sendo que às 19h00 haverá oração das Vésperas e às 21h30 terá início uma vigília de oração

O funeral realiza-se sexta-feira às 16h00. Haverá celebração de missa, seguida de cortejo para o Panteão dos Patriarcas, no Mosteiro de São Vicente de Fora, em Lisboa.