Tempo
|

Memorial perpetuará Santuário de Santo Antão da Barca

17 jan, 2014 • Olímpia Mairos

Projecto hidroeléctrico da EDP no Baixo Sabor vai deixar submerso o espaço que acolheu o Santuário de Santo Antão da Barca, em Alfândega da Fé. Segundo D. José Cordeiro, o novo Santuário pode ser um contributo para o desenvolvimento da região.

Memorial perpetuará Santuário de Santo Antão da Barca
D. José Cordeiro presidiu esta tarde à bênção do memorial - uma cruz aberta, em granito - que perpetuará a memória do espaço que acolheu, ao longo de mais de 200 anos, uma das maiores romarias da região transmontana – o santuário de Santo Antão da Barca, espaço que vai ficar submerso pela barragem do Sabor.

“O local não deixa de ser sagrado porque fica sempre um campo santo com este memorial tão belo e significativo sob a forma de cruz aberta, que acolhe a água, que acolhe a memória, que nos faz lembrar o baptismo e a criação”, refere D. José Cordeiro, salientando que “deste lugar tão significativo para estas gentes nasce uma mensagem de paz, de encontro e de esperança”.

O projecto hidroeléctrico da EDP no Baixo Sabor vai deixar submerso o espaço que acolheu o Santuário de Santo Antão da Barca, em Alfândega da Fé.

A capela foi trasladada pedra por pedra, como estava previsto desde o início do processo da construção da barragem do Sabor, que se encontra em fase de conclusão, no concelho vizinho de Torre de Moncorvo, e prestes a iniciar o enchimento da albufeira principal. As restantes infraestruturas do santuário estão a ser construídas de novo e com novos equipamentos.

O novo espaço do santuário de Santo Antão da Barca, a cerca de um quilómetro de distância do anterior “continuará a ser referencial de fé e de cultura”, refere D. José Cordeiro, explicando que "tem melhores condições, tem melhores potencialidades, e em articulação com o santuário de Cerejais e outros da Diocese, pode ser um contributo para o desenvolvimento integral da região”.

Para os devotos de Santo Antão, a mudança do santuário é sinónimo de nostalgia: “Foi com muita tristeza que vi desaparecer a capela do santuário”, refere Aurora Ginga.

Por seu lado, José Alberto recorda os anos em que participou na romaria e lamenta que a barragem “apague as memórias vividas no santuário”.

Segundo Carvalho Bastos, representante da EDP, as obras do novo santuário “estarão concluídas no 2º semestre de 2014”. Desta forma, a tradicional romaria em honra de Santo Antão será realizada já no novo espaço, no 1º fim-de-semana de Setembro.