Tempo
|

Jardim diz que Lisboa deve três mil milhões à Madeira

06 dez, 2011

Presidente do Governo Regional somou todos os cêntimos dos últimos 30 anos. Disse ainda não estar "arrependido" da dívida que contraiu.

Jardim diz que Lisboa deve três mil milhões à Madeira
O Continente é que deve dinheiro à Madeira e são já três mil milhões euros. As contas foram apresentadas por Alberto João Jardim durante o debate na Assembleia Legislativa, sobre a apresentação do programa do XI Governo Regional.

O presidente do Governo Regional somou todos os cêntimos dos últimos 30 anos. “A educação desde o início da autonomia custou 5,5 mil milhões e a saúde custou 3,7 mil milhões já pagos, o que significa que só o que a região pagou das despesas, que por lei são do Estado central, é mais de três mil milhões do que a dívida que nos é atribuída”.

Perante estes números, deixa um aviso a Lisboa: “Espero que a 'troika' tome conhecimento destas obrigações constitucionais do Estado que estão por cumprir, bem como espero não ser necessário recorrer aos tribunais para que tudo isto fique acertado de vez”.

Jardim disse ainda não subscrever política do Governo por estar "amarrada" à “troika”, constituída pelo Fundo Monetário Internacional, Banco Central Europeu e União Europeia. Criticou o Governo da República por estender "um tapete vermelho" a "funcionários de instituições estrangeiras" para virem "dar ordens no país".

O presidente do Governo Regional realçou que a Madeira "não foi ouvida" nas negociações: "As minhas relações são com o Governo da República. A Região Autónoma da Madeira não negoceia com a troika".

Defendeu ainda que "enquanto o BCE não libertar verbas para haver massa monetária em circulação não vamos pôr o país a funcionar". Jardim salientou ainda não estar "arrependido" da dívida que contraiu porque as obras foram feitas na altura certa. Num comentário aos centristas, o presidente do Governo Regional reconheceu que o "PSD nacional é mais ligado ao CDS do que à Madeira".

Revelou que as relações entre o Governo Regional e o Governo da República de coligação são institucionais. "Nós não estamos a espera de bombons do Governo da República, nem o Governo da República vai receber nenhum bolo de mel do Governo da Madeira".

O debate parlamentar do programa do XI Governo Regional termina quarta-feira com a votação de uma Moção de Confiança.