Tempo
|

Mário Soares apoia Costa e arrasa Seguro

29 mai, 2014

Fundador do PS defende a convocação de um congresso extraordinário.

Mário Soares apoia Costa e arrasa Seguro

O fundador do PS, Mário Soares, apoia António Costa, deixa críticas ao líder do partido, António José Seguro, e defende a convocação de um congresso extraordinário. 

A posição do histórico socialista foi divulgada esta quinta-feira à noite, num artigo de opinião publicado na edição online do jornal “Público”.

“Acho que nos vai fazer permitir que o nosso querido PS, do punho erguido à esquerda e dos socialistas que não têm medo de ser tratados por 'camaradas', se mobilize para construir um futuro diferente”, escreve Mário Soares numa manifestação de apoio a António Costa.

O antigo Presidente da República defende que, apesar da derrota da direita nas europeias, os eleitores portugueses também manifestaram “uma preocupante indiferença face ao partido liderado por António José Seguro”.

Mário Soares desafia o líder do PS a “saber retirar as consequências da falta de adesão dos eleitores a um estilo nada identificado com o povo”.

“Daí a convicção tão generalizada que com o Partido de Seguro — que a direita e o Presidente da República e mesmo a troika não desistem de procurar captar — o povo não pode contar”, atira o histórico socialista.

Neste artigo, Mário Soares promete ajudar António Costa a ser eleito líder do PS, mas sublinha que o seu “é apenas um voto entre todos os socialistas”.

Na sequência das eleições europeias de domingo, o presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, anunciou que pretende disputar a liderança do PS e desafiou o secretário-geral António José Seguro a convocar um congresso extraordinário.

Os dois estiveram reunidos na quarta-feira, na sede do partido, em Lisboa, e Seguro vai anunciar a sua decisão na comissão nacional do PS, marcada para sábado.

Da decisão rápida ao congresso
Além de Mário Soares, outros dois antigos líderes do PS, Jorge Sampaio e Ferro Rodrigues, também já se pronunciaram sobre a situação no partido.

O ex-presidente da República Jorge Sampaio apelou esta quinta-feira, em Coimbra, a uma decisão rápida. “Estou tranquilo, porque há no próximo sábado uma comissão nacional do partido, que é o órgão máximo entre congressos e o local próprio para uma discussão aprofundada", disse.

“Espero que seja esse o momento importante em que se possa discutir seriamente a questão proposta em cima da mesa. Espero que se encontre uma solução rápida, de unidade, que permita de uma forma moderna preparar e consolidar uma alternativa a este governo”, apelou Jorge Sampaio.

O ex-secretário-geral do PS Ferro Rodrigues apelou, na quarta-feira, a António José Seguro para que marque "tão brevemente quanto possível" eleições directas para a escolha da liderança e um congresso extraordinário do partido.

"Portugal necessita de construir um Governo de forte base política e social após eleições legislativas e, para que tal aconteça, é condição fundamental que o PS ganhe essas eleições e dinamize a criação desse Governo, capaz de no país e na Europa se bater pelo desenvolvimento com crescimento e emprego e combate à exclusão", afirmou o actual vice-presidente da Assembleia da República.