Mário Nogueira acusa "jovenzinhos" da JSD de falta de formação democrática

19 jun, 2013

Acusação responde à questão do líder da Juventude Social Democrata, que quis saber quanto custam os sindicatos ao Estado. Fenprof diz que, além do ordenado, o custo é zero.

O secretário-geral da Federação Nacional de Professores (Fenprof), Mário Nogueira, considera que os "jovenzinhos" da JSD que questionaram o custo para o Estado dos sindicatos de professores têm "défice de formação democrática", garantindo que os sindicalistas recebem apenas o seu ordenado.

Em declarações à agência Lusa, o secretário-geral da Federação Nacional de Professores, Mário Nogueira, considerou "pertinente" a questão feita esta quarta-feira pelos deputados da JSD no sentido de saber quais os encargos que os sindicatos do sector da Educação representaram para o Estado em 2012 e 2013.

Mário Nogueira afirmou que os dirigentes recebem o seu ordenado e os sindicatos vivem das quotas pagas pelos associados. "As transferências do Governo para os sindicatos são zero", garantiu, respondendo assim à pergunta entregue no Parlamento pelo deputado Hugo Soares.

"Acho que é uma questão pertinente. Acho que é importante percebermos que seja para os sindicatos de professores ou de outros [grupos de trabalhadores], não há qualquer transferência do Estado, a transferência é zero, e que os dirigentes não têm nem mais um cêntimo do que teriam se estivessem nas suas escolas. Têm simplesmente o seu salário", sublinhou o líder sindical.

Para Mário Nogueira, esta é "uma situação muito diferente daquela que existe, por exemplo, na Assembleia da República, nomeadamente entre os deputados da JSD que nunca fizeram nada da vida e quando começam nos seus empregos políticos têm imediatamente o salário de deputados. Ou seja, nunca poderiam ter o salário daquilo que é o seu emprego porque nunca tiveram o seu emprego, verdade se diga".

O secretário-geral do maior sindicato de professores acha "que a comparação terá grande utilidade e será extremamente positiva, porque na verdade são situações absolutamente incomparáveis".

Em declarações à Lusa, Mário Nogueira criticou ainda os elementos da JSD: "Essa rapaziada, esses jovenzinhos, esses miúdos que entram directamente das escolas para a política não têm formação democrática e os défices de formação democrática são de facto muito preocupantes”.
 
“Não é legítimo eu perguntar quanto custam os sindicatos na Educação, quanto é que pagamos de impostos para os sindicatos que na segunda-feira passada puseram em causa o futuro de milhares de jovens portugueses?", questionou, de manhã, o deputado Hugo Soares.