Tempo
|

Ministra acusa guardas prisionais de receberem horas extra a dormir

15 nov, 2011

Paula Teixeira da Cruz foi muito criticada pelas bancadas do PS e do PCP, que acusaram a ministra de estar a generalizar casos e a mostrar falta de respeito para com aqueles profissionais

Ministra acusa guardas prisionais de receberem horas extra a dormir
A ministra da Justiça, Paula Teixeira da Cruz, acusa os guardas prisionais de receberem horas extraordinárias enquanto dormem.

“O que se passa é que, neste momento – e é preciso dizê-lo –, os senhores guardas prisionais trabalham por escalas, mas depois, se formos ver ao Orçamento, o custo das horas extraordinárias é de 12 milhões de euros. Não é muito razoável alguém que trabalha por escalas fazer horas extraordinárias. O que há neste momento são duas escalas e enquanto alguns guardas descansam estão a receber horas extraordinárias”, afirmou no Parlamento, durante a discussão, na especialidade, do Orçamento de Estado para 2012.

Paula Teixeira da Cruz foi muito criticada pelas bancadas do PS e do PCP, que acusaram a ministra de estar a generalizar casos e a mostrar falta de respeito para com aqueles profissionais. A ministra avisou que vai haver mudanças nesta matéria, mas não adiantou quais.

Paula Teixeira da Cruz anunciou, por outro lado, que vai investir mais 100 milhões no sector da Justiça e que quer ampliar as cadeias, de modo a acolher mais de 1.200 reclusos – um dos grandes problemas do seu Ministério que quer resolver.

PS acusa ministra de ofender profissionais
Para o deputado do PS Ricardo Rodrigues, a ministra ofendeu os profissionais da guarda prisional. 

“A pergunta que se impõe é quantos processos disciplinares a ministra já desencadeou sobre essa matéria. Mas é extremamente injusta, porque não acredito que todos os guardas prisionais cometam actos ilícitos”, afirmou Ricardo Rodrigues.

O deputado considera que a afirmação de Paula Teixeira da Cruz "atinge a honorabilidade de muitos guardas prisionais".