Emissão Renascença | Ouvir Online

Desacatos no Marquês. Câmara seguiu "todas as recomendações" da PSP

19 mai, 2015

Autarca Fernando Medina responsabiliza "um grupo que agiu fora da lei" pelos incidentes da noite de domingo.
.

Desacatos no Marquês. Câmara seguiu "todas as recomendações" da PSP

O presidente da Câmara de Lisboa desvaloriza o parecer negativo da PSP à festa do Benfica no Marquês de Pombal, em Lisboa, que acabou com uma carga policial sobre os adeptos. Fernando Medina defende que os desacatos nada tiveram a ver com o dispositivo de segurança.

Fernando Medina garante que "todas as recomendações foram seguidas" e "nada disto tem relação nenhuma com os problemas que aconteceram no Marquês  de Pombal".

As recomendações para garantir a segurança da festa do título do Benfica foram, segundo o autarca, a contratação de mais agentes das forças de segurança, o reforço do gradeamento e a criação de anéis de separação entre os adeptos e o palco onde os jogadores fizeram a festa do bicampeonato.

Fernando Medina responsabiliza "um grupo que agiu fora da lei" pelos incidentes da noite de domingo. Esse grupo manifestou uma "atitude agressiva" e a polícia teve que actuar, refere o presidente da Câmara de Lisboa. 

O que aconteceu no Marquês de Pombal, sustenta, podia acontecer em qualquer evento, mas é "sempre possível aprender e melhorar a segurança", reconhece Fernando Medina. 
 
O lançamento de garrafas e outros objectos por parte de uma minoria "não pode e não deve acontecer e deve ser averiguado", sublinha.

A PSP deu parecer negativo à festa do Benfica do domingo em Lisboa, disse fonte da polícia à Renascença. A PSP não queria que a festa na praça do Marquês de Pombal, que acabou com confrontos entre forças de segurança e adeptos, decorresse da forma como foi organizada. Preferia o modelo que o Benfica e a autarquia usaram no ano passado, mais para o interior do Parque Eduardo VII.