Emissão Renascença | Ouvir Online

Ministério Público abre dois inquéritos a detenção de adepto em Guimarães

19 mai, 2015

Investigações visam a actuação policial e do adepto agredido.

O Ministério Público (MP) abriu dois inquéritos ao incidente de domingo, junto ao estádio do Vitória de Guimarães, que envolveu um adepto do Benfica e um graduado da polícia.

Um dos inquéritos visa a actuação policial. De acordo com a Procuradoria-Geral Distrital do Porto, foi instaurado após ter recebido uma denúncia de alegado abuso de poder.

Em nota publicada na sua página na Internet, a Procuradoria refere que a denúncia foi apresentada "por um cidadão terceiro" e aponta para "suspeitas da prática do crime de abuso de poder durante a actuação policial". Esta denúncia vai ser "objecto de inquérito".

Na nota, a Procuradoria confirma que foi instaurado um outro inquérito, para investigar denúncias da prática de crimes de injúria e de ameaça à autoridade, e no âmbito do qual foi constituído um arguido.

Este arguido, cumprindo com a notificação que lhe fora efectuada pela entidade policial, compareceu esta segunda-feira perante o Ministério Público no Tribunal de Guimarães, que procedeu a interrogatório não judicial.

O MP "não promoveu qualquer diligência perante o juiz de instrução, por não entender necessária a aplicação de qualquer outra medida de coacção para além do termo de identidade e residência", acrescenta a nota.

Em causa estão as cenas registadas no domingo em Guimarães e filmadas pela Correio da Manhã TV, em que se vê um subcomissário da PSP de Guimarães a agredir à bastonada um adepto do Benfica, que estava acompanhado pelo pai e pelos dois filhos menores.

O adepto foi detido, tendo o subcomissário escrito, no auto de detenção, que o arguido o injuriou e ameaçou e lhe cuspiu na cara.

A versão foi desmentida esta segunda-feira pelo adepto, que já manifestou intenção de apresentar queixa contra o subcomissário.

A PSP já anunciou a abertura de um inquérito disciplinar ao agente e o Ministério da Administração Interna vai abrir um inquérito à acção policial.