Tempo
|

Bispos portugueses elogiam "corajosa lucidez" de Bento XVI

18 fev, 2013 • Paula Costa Dias

Porta-voz da Conferência Episcopal considera que o próximo Papa deve ter "um coração grande" e uma "mente aberta".

O conselho permanente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) admite que recebeu a notícia da resignação do Papa com surpresa, mas expressa admiração pela corajosa lucidez de Bento XVI.

"Mas esta surpresa depressa se tornou em admiração agradecida  pela sua corajosa lucidez em reconhecer as limitações de saúde e forças. Com este gesto, o Papa ensina-nos que todo o poder na Igreja é serviço", afirmou o porta-voz da CEP, padre Manuel Morujão, em Fátima.

Questionado sobre o perfil do próximo Papa, o porta-voz da CEP disse que deve ter "um coração grande, uma mente aberta, um instinto de evangelização missionária sem fronteiras" e que deve estar "aberto às interpelações da Igreja e do mundo de hoje".

O Bispo de Roma que suceder a Bento XVI, que resigna ao cargo a 28 de Fevereiro, deve ser uma pessoa "prudente", mas ao mesmo tempo "corajosa", refere o porta-voz da CEP.

"Acho que nós vivemos numa mudança de civilização - aquilo que estava já não dá. Então, acho que esta vertente carismática de inovação, mas por outro lado o realismo da governação, devem estar em conjunto. E evidentemente que também tem que ter qualidades administrativas, mas uma pessoa que também saiba governar a instituição no seu lado humano", afirmou o padre Manuel Morujão, no final da reunião do conselho permanente da Conferência Episcopal Portuguesa. 

Num comunicado divulgado esta segunda-feira em Fátima, os bispos portugueses elogiam o pontificado de Bento XVI e destacam o exemplo orante do Papa.