|

 Confirmados

 Suspeitos

 Recuperados

 Óbitos

Incêndio de grandes dimensões destroi 4 armazéns em Gaia

23 mar, 2014

Chamas destruiram quatro armazéns na zona industrial de Serzedo. No local estão dezenas de bombeiros de várias corporações.

Incêndio de grandes dimensões destroi 4 armazéns em Gaia
Incêndio de grandes dimensões destroi 4 armazéns em Gaia
Um incêndio de grandes dimensões, que deflagrou este domingo à tarde na zona industrial de Serzedo, no concelho de Vila Nova de Gaia, destruiu quatro armazéns. O alerta foi dado às 19h, mas cerca de três horas depois, os bombeiros já tinham as chamas dominadas. As causas ainda não são conhecidas.
Um incêndio de grandes dimensões, que deflagrou este domingo à tarde na zona industrial de Serzedo, no concelho de Vila Nova de Gaia, destruiu quatro armazéns.

“Por volta das 19h00, recebemos um alarme para um incêndio industrial. Prontamente, os meios foram deslocados para o local e deparámo-nos com um incêndio que se iniciou num veículo que se encontrava num armazém desocupado e que, rapidamente, se propagou à cobertura dos outros armazéns contíguos”, disse à Renascença o comandante Salvador Almeida, dos Sapadores de Gaia. 

Pelas 22h00, cerca de três horas depois do alerta, os bombeiros já tinham as chamas dominadas.

“[Está a ser] Um combate difícil, minutos muito longos e, rapidamente, tivemos três armazéns completamente tomados e tem sido muito difícil o combate para evitar-mos a propagação aos outros armazéns, o que estamos a conseguir. Neste momento, podemos dizer que o incêndio está dominado”, avança o comandante Salvador Almeida.

A dificultar o trabalho dos bombeiros está a grande concentração de materiais inflamáveis no interior dos armazéns.

Não há vítimas a registar em resultado deste incêndio na zona industrial de Serzedo, disse à Renascença o comandante Salvador Almeida. “Felizmente, não há pessoas feridas. Não havia ninguém [nos armazéns], também felizmente não temos nenhum bombeiro ferido, espero até ao final das operações não ter, porque houveram muitas explosões, quedas de chapas de ferro, revestimentos.”

As causas ainda não são conhecidas.

A combater o fogo estão cerca de 50 operacionais dos Sapadores de Gaia e Porto e Voluntários da Aguda, Carvalhos e Valadares, que estão a ser apoiados por 15 viaturas.

[notícia actualizada às 23h31]