|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

Último dia de previsões. Segunda-feira, os números serão “a sério”.

23 mai, 2014 • Manuela Pires

Esta sexta-feira é dia de eleições europeias na Irlanda e na República Checa. Ontem votou-se na Holanda e Reino Unido.

O diário espanhol El Mundo refere que as assembleias de voto abriram bem cedo. A Irlanda elege 11 eurodeputados e, apesar de os irlandeses terem 15 horas para votar, as sondagens indicam que a abstenção pode ultrapassar os 60%. Quanto às intenções de voto, os partidos que estão no Governo devem descer, consequência do programa de austeridade que foi aplicado em 2010. Em sentido contrário, o Sinn Fein, antigo braço político do IRA, pode aumentar a votação.

O francês Le Monde destaca a surpresa ontem na Holanda. As primeiras projecções indicam um resultado pior do que se previa para o partido anti-europeu de Geert Wilders, que pode ficar em terceiro lugar e perder um deputado no Parlamento Europeu. Quanto aos resultados, só podem ser divulgados no domingo à noite, para não terem influência nos restantes países. Mesmo assim, a Holanda autorizou a divulgação destas projecções.

Quanto ao Reino Unido, não há resultados. Mas, se as sondagens se confirmarem, o partido anti-europeu UKIP pode vencer as eleições. O diário português Público lembra que, se for o mais votado, é a primeira vez desde a 1ª Guerra Mundial que nem os Conservadores nem os Trabalhistas vencem umas eleições a nível nacional.

O Público traz, de resto, as previsões de votos nalguns países. Em França, vence a Frente nacional de Marine Le Pen. Na Grécia, o líder das sondagens é o partido da Esquerda Radical, o Syriza. Na Alemanha, os partidos de Governo vencem com larga maioria.

Em Itália, a grande incógnita é o partido do antigo comediante Beppe Grillo, o movimento 5 Estrelas está em segundo lugar. A principal proposta de Grillo é um referendo sobre a manutenção da Itália na Zona Euro.

No último dia de campanha, em Portugal, os jornais trazem sondagens. Os números podem variar, mas o PS vence as eleições de domingo. A CDU aparece em terceiro lugar. Pode eleger o terceiro deputado. O Bloco de Esquerda é quem mais perde. Dos actuais três eurodeputados eleitos, pode perder dois e ficar apenas com um.

A revista do Expresso tem uma reportagem feita em Paris com os portugueses que são apoiantes de Marine Le Pen. A líder da Frente Nacional diz que os portugueses são mais radicais do que ela contra os estrangeiros delinquentes. A reportagem é feita num restaurante de Manuel Domingos, que mais parece uma sucursal da Frente Nacional. As paredes estão forradas com cartazes de campanha.