Tempo
|

Reveja a tomada de posse do novo Governo liderado por Luís Montenegro

02 abr, 2024 - 17:26 • Redação, com Lusa

Cerimónia decorreu esta terça-feira, no Palácio da Ajuda. Primeiro-ministro diz que o Governo "não está aqui de turno" e desafiou o PS a esclarecer se vai ser oposição democrática ou ser bloqueio democrático. O Presidente da República deixou uma espécie de guião para o novo executivo minoritário.

A+ / A-

O primeiro-ministro, Luís Montenegro, e os 17 ministros do XXIV Governo Constitucional tomaram posse esta terça-feira, pelas 18h00, no Palácio Nacional da Ajuda, em Lisboa.

Luís Montenegro, que foi o primeiro a tomar posse, e o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, discursaram na parte final da cerimónia.

"Este Governo não está aqui de turno, nem para fazer o mais fácil", declarou o primeiro-ministro. Montenegro desafia o PS "a ser claro e autêntico quanto à atitude que vai tomar. Ser oposição democrática ou ser bloqueio democrático".

Montenegro alertou para a "ilusão" da ideia dos "cofres cheios" e elencou as prioridades: reduzir impostos, apresentar um plano de emergência para a Saúde e iniciar um diálogo com a oposição sobre combate à corrupção.

O primeiro-ministro discursou depois do Presidente da República. Marcelo Rebelo de Sousa disse que “a vitória eleitoral foi difícil, porventura a mais estreita em eleições parlamentares”, e deixou uma espécie de guião para o novo Governo de maioria relativa.

O BE e o PCP não vão marcar presença na cerimónia de tomada de posse do primeiro-ministro e ministros do XXIV Governo Constitucional, enquanto pelo PS estará Alexandra Leitão e não o líder socialista Pedro Nuno Santos.

Fonte bloquista adiantou à agência Lusa que, "tal como aconteceu no passado, o Bloco de Esquerda não estará representado na tomada de posse de um Governo de direita".

Já fonte comunista explicou ser "prática do PCP há décadas não participar na tomada de posse de governos".

Por sua vez, o PS vai estar presente, mas sem o secretário-geral Pedro Nuno Santos, fazendo-se representar pela dirigente Alexandra Leitão, adiantou fonte do PS à Lusa.

Em 2019, na tomada de posse do segundo Governo de António Costa e após o fim da geringonça, o PCP enviou uma nota a explicar que voltaria a não estar presente como vinha sendo regra, referindo que em 2015 foi uma exceção para marcar uma posição contra Cavaco Silva.

O primeiro-ministro, Luís Montenegro, e os 17 ministros do XXIV Governo Constitucional tomam hoje posse às 18h00, no Palácio Nacional da Ajuda, menos de um mês depois da vitória da AD nas legislativas de 10 de março.

Este será o terceiro executivo que o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, empossará - mas o primeiro liderado pelo PSD, partido a que já presidiu - e nenhum dos dois anteriores cumpriu o mandato até ao fim.

Na Sala dos Embaixadores, o chefe de Estado dará posse ao primeiro-ministro e depois aos 17 ministros, que serão chamados um a um, por ordem hierárquica, para prestar juramento e assinar o auto de posse.

Os secretários de Estado do XXIV Governo Constitucional, que ainda não são conhecidos, só tomarão posse na sexta-feira.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Maria
    02 abr, 2024 Palmela 17:40
    Renato! O montenegro esta a prometer muita coisa" sera que ele sabe que quem promete em divida se mete?
  • Maria
    02 abr, 2024 Palmela 17:36
    Renato o cds e o ppm obrigaram o luis montenegro a meter uma gravata azul ou e da praxe?

Destaques V+